Portuguese party CHEGA presidential candidate, Andre Ventura, adresses the election results in a Hotel in Lisbon, Portugal, 24 January 2021. According to reports, COVID-19 fatalities in Portugal, which now stand over 10,000, could played a major role in low voter turnout in the 2021 presidential elections. Portugal is currently under a second national lockdown, to quell the widespread of COVID-19. JOSE SENA GOULAO

André Ventura confirmou a sua decisão de “devolver a palavra aos militantes” na sala de um hotel lisboeta que está a servir de sede à candidatura do partido da extrema-direita parlamentar nesta noite eleitoral, que voltou a eleger Marcelo Rebelo de Sousa como chefe de Estado à primeira volta.

“Nós somos firmes naquilo que defendemos. Ficámos aquém dos 15% que eu deveria ter, com algumas décimas de diferença da candidata que representa o que Portugal de pior tem, a esquerda mais medíocre e colada às minorias e àqueles que têm destruído Portugal. Não fugirei à minha palavra. Devolverei a palavra aos militantes do Chega”, disse.

O líder do partido da extrema-direita parlamentar tinha-se proposto ficar à frente dos concorrentes da esquerda (Ana Gomes, Marisa Matias e João Ferreira), alcançando assim o segundo posto e, eventualmente, obrigar o incumbente Marcelo Rebelo de Sousa a uma segunda volta eleitoral.

No período da democracia, nunca um recandidato teve de se sujeitar a uma segunda volta.