Vasco Cordeiro quer “apuramento detalhado” até fim do mês de caso de evacuação médica

O presidente do Governo dos Açores deu hoje instruções para que seja aberto um inquérito “urgente” que, até fim do mês, esclareça se houve interferência da presidente do Hospital de Angra numa operação de evacuação de doentes.

“Considero, sem margem para dúvida, imperativo e imprescindível o apuramento detalhado e exaustivo de todas as circunstâncias que rodearam esta situação”, diz o despacho de Vasco Cordeiro, a que a agência Lusa teve acesso.

Em causa está uma notícia de hoje do Diário dos Açores, reportando que a administradora do Hospital de Angra, Olga Freitas, interferiu numa operação de evacuação de doentes, obrigando um helicóptero da Força Aérea a transportar um doente seu familiar da ilha de São Jorge, quando a equipa médica tinha optado por transportar, primeiro, um doente da Graciosa.

O episódio, que terá sucedido em fevereiro de 2017, motivou uma queixa por escrito ao Serviço Regional de Proteção Civil e remetida para a secretaria da Saúde, que optou por não a remeter para a Inspeção Regional de Saúde, esclarece o jornal.

Hoje, Vasco Cordeiro refere ser essencial saber a “cronologia” e os passos dos “intervenientes” na situação, nomeadamente “quanto a se foram ou não escrupulosamente cumpridos os procedimentos estabelecidos” para casos do género.

O chefe do executivo açoriano pede ainda uma “avaliação rigorosa do cumprimento ou incumprimento dos procedimentos estabelecidos para este tipo de evacuações médicas” e solicita “eventuais recomendações” que a Inspeção Regional de Saúde, responsável pelo inquérito, “entenda fazer”.

Hoje também o PSD/Açores anunciou que vai requerer a audição do secretário da Saúde, pedindo um “esclarecimento cabal” da alegada interferência da presidente do Hospital de Angra “numa operação de evacuação de doentes para benefício de um familiar seu”.

Além da audição ao secretário regional da Saúde, Rui Luís, os sociais-democratas vão requerer também a audição na comissão de Assuntos Sociais do parlamento da presidente do Conselho de Administração do Hospital de Angra do Heroísmo, da médica reguladora, da médica da equipa de evacuação e do presidente do Serviço Regional de Proteção Civil dos Açores.

Notícias relacionadas