Pub

O turismo, a mobilidade, as infraestruturas e a energia recebem do Governo dos Açores, em 2023, 250,8 milhões de euros, representando “cerca de um terço do investimento público”, revelou hoje a secretária regional Berta Cabral.

“Temos à nossa responsabilidade um investimento de cerca de 250,8 milhões de euros, abrangendo intervenções que, além do turismo, da mobilidade, infraestruturas e energia, incluem obras na generalidade das restantes áreas sociais e económicas”, descreveu a responsável pelas pastas do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas do Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM).

No plenário da Assembleia Legislativa Regional para debate e votação do Plano e Orçamento regionais para 2023, a governante apontou 30,45 milhões de euros para a transição energética e a descarbonização da economia, revelando que a região vai integrar um projeto “para o estudo da viabilidade do uso de hidrogénio nos Açores”.

O Turismo conta com “um investimento de 13,5 milhões de euros” e o “compromisso de os aplicar de forma criteriosa e consequente, sem aventuras despesistas ou gastos desproporcionados”, afirmou.

Em 2023, continuou, “em termos de política de promoção e desenvolvimento turístico, será necessário otimizar os recursos disponíveis, apostando nos mercados e canais certos”.

Ainda segundo Berta Cabral, foram definidas como prioridades estratégicas “a mitigação da sazonalidade, a distribuição de fluxos turísticos por todas as ilhas e pelo seu território, bem como a qualificação e diversificação do nosso produto”, mantendo-se o “compromisso firme com a sustentabilidade”.

Por outro lado, a mobilidade tem “114,8 milhões de euros, visando intervenções nos transportes aéreos, marítimos e terrestres que fomentem um verdadeiro mercado interno, o desenvolvimento e a coesão territorial”, disse.

As infraestruturas e equipamentos portuários e aeroportuários ficam com mais de 33 milhões de euros, designadamente para as novas aerogares do Corvo e da Graciosa, a ampliação da pista do aeroporto do Pico ou a comparticipação no projeto de ampliação da pista do aeroporto da Horta.

Mais de 28 milhões de euros destinam-se à recuperação de infraestruturas e equipamentos danificados pelo furacão Lorenzo.

Além disso, os transportes terrestres têm mais de três milhões de euros para “a modernização e progresso do transporte público coletivo de passageiros e prevenção rodoviária”.

Dos 87,7 milhões de euros destinados às obras públicas, 36,1 milhões são para a “construção ou reabilitação de estradas regionais”.

“Este plano de investimentos abarca mais de 33 milhões de euros para execução de ações das várias áreas tutelares do Governo, onde se inserem obras em infraestruturas e equipamentos básicos e imprescindíveis, muitos dos quais foram deixados ao abandono, sem conservação, e agora carecem de avultados investimentos”, lamentou.

A Assembleia Legislativa dos Açores é composta por 57 deputados e, na atual legislatura, 25 são do PS, 21 do PSD, três do CDS-PP, dois do PPM, dois do BE, um da Iniciativa Liberal, um do PAN, um do Chega e um deputado independente (eleito pelo Chega).

PSD, CDS-PP e PPM, que juntos representam 26 deputados, assinaram um acordo de governação.

A coligação assinou ainda um acordo de incidência parlamentar com o Chega e com o deputado independente Carlos Furtado (ex-Chega) e o PSD um acordo com a IL.

Pub