“Os Açores atingiram o maior valor de sempre de pessoas com emprego desde 1985”, afirmou hoje a deputada socialista Graça Silva, citada em nota de imprensa, que aponta para uma redução da taxa de desemprego de 16,3% para 8,6% em quatro anos.

Segundo a parlamentar, “estes são resultados concretos e indesmentíveis, são resultados das políticas do Governo e, também, dos açorianos que durante anos difíceis se empenharam, mantiveram-se disponíveis e contribuíram para criar mais emprego”, acrescentando que “desvalorizar estes factos é desrespeitar os açorianos e desvalorizar a sua capacidade para fazer face à crise”.

Graça Silva respondia às críticas proferidas hoje de manhã pelo líder dos TSD/Açores (Trabalhadores Social Democratas), em conferência de imprensa, em que Joaquim Machado acusou o executivo regional, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro, de recorrer “à meia verdade e até à mentira para tentar iludir os açorianos”, quando a região tem “a mais alta taxa de desemprego em Portugal”.

“No início de agosto, o Instituto Nacional de Estatística (INE) publicou os dados do segundo trimestre deste ano e de acordo com esses dados verificou-se que os Açores registam a maior taxa de desemprego do país. E passados 15 dias, o Governo Regional fez publicar uma nota de imprensa a dizer que se tinha verificado nos Açores a maior descida do desemprego no país com base no número de inscritos nos centros de emprego”, apontou o social-democrata.

A deputada socialista lamentou as declarações que, “na ânsia de protagonismo, vieram, novamente, atacar o Partido Socialista, omitindo que na região o emprego cresce, o rendimento disponível das famílias açorianas é superior à media nacional, aumentou a riqueza produzida”, além de que o arquipélago foi “a única região do país a convergir com a média da União Europeia, desde 2000”.