“No início de agosto, o Instituto Nacional de Estatística (INE) publicou os dados do segundo trimestre deste ano e de acordo com esses dados verificou-se que os Açores registam a maior taxa de desemprego do país. E passados 15 dias, o Governo Regional fez publicar uma nota de imprensa a dizer que se tinha verificado nos Açores a maior descida do desemprego no país com base no número de inscritos nos centros de emprego”, afirmou Joaquim Machado.

O líder dos Trabalhadores Sociais Democratas (TSD) dos Açores falava em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, numa conferência de imprensa em que acrescentou que o executivo açoriano “recorre à meia verdade e até à mentira para tentar iludir os açorianos”, quando a região tem “a mais alta taxa de desemprego em Portugal”.

“A taxa de desemprego é avaliada com critérios que são usados por todos os Estados Membros da União Europeia de forma trimestral e essas notícias casuais mensalmente publicadas pretendem confundir os açorianos”, apontou.

Joaquim Machado frisou que “as notas informativas que o Governo Regional faz publicar com muita frequência, relativas ao número de desempregados inscritos nos centros de emprego, são manobras para confundir a opinião pública e não se referem efetivamente à taxa de desemprego”.

E exemplificou: “A realidade é que temos a taxa mais alta de desemprego em Portugal – 8,2% contra 6,3% no país -, números apurados para o segundo trimestre do ano e que são os últimos publicados pelo Instituto Nacional de Estatística”.

O líder dos TSD/Açores considerou ainda que o executivo açoriano, liderado por Vasco Cordeiro, lança “cortinas de fumo” para “esconder a triste realidade que os Açores continuam a viver nove anos depois da crise lançada por José Sócrates”.

“No país a taxa regrediu para sensivelmente metade do que era há oito anos. Pelo contrário, nos Açores o desemprego é quase 20% mais alto do que aquele que se verificava em 2010 – são mais 2.100 açorianos desempregados”, sublinhou, salientando que “é hora de dizer basta a esta despudorada manobra de propaganda” do Governo Regional.

Joaquim Machado referiu-se também à questão dos trabalhadores em programas ocupacionais, apontando “a inexplicável, e até cínica, euforia do Governo Regional, já que se constata que triplicou o número de desempregados integrados nos programas ocupacionais, passando de 1.413 para 4.256”.

Quanto ao desemprego jovem (relativo a pessoas dos 15 aos 24 anos) o presidente dos TSD/Açores disse “que atinge igualmente o valor mais alto do país, com 32,6%, quase o dobro da média nacional”.