O embate entre o Santa Clara e o Paços de Ferreira será o primeiro jogo de futebol profissional em 2021 a ter assistência nas bancadas, devido à situação da pandemia da Covid-19 nos Açores.

“É muito desejável termos público e é bom que isso se estenda rapidamente a outros campos. Agora, ter público por ter público também não interessa. Aquilo que nós queremos é ter público para podermos tirar proveito do nosso público”, afirmou Daniel Ramos.

O treinador falava em conferência de imprensa realizada no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, na véspera da receção ao Paços de Ferreira.

O técnico da equipa açoriana apelou aos adeptos para irem ao estádio e cumprirem “com o que é pedido” quanto às regras de controlo da pandemia, mas pediu também para “não deixarem de apoiar a equipa”.

“Queremos apoio, queremos sentir o apoio deles [adeptos]. É importante também para eles, para conseguirem extravasar aquilo que são momentos difíceis, têm sido momentos difíceis para todos e o futebol é muitas vezes um escape”, assinalou.

Daniel Ramos elogiou a equipa adversária, que tem “produzido um bom futebol” e que está a fazer um “grande campeonato”.

“Queremos sempre jogar contra boas equipas porque isso é também a forma de nos testar e o Paços é uma boa equipa. Não é por acaso que tem os pontos que tem. Está a fazer um grande campeonato, um campeonato acima das expectativas”, declarou.

O Santa Clara vem de duas derrotas consecutivas na I Liga, diante do Gil Vicente, na jornada passada (1-0), e do Sporting de Braga (1-0), enquanto o Paços de Ferreira vem de um triunfo diante do Vitória de Guimarães (2-1) e de uma derrota com o líder Sporting (2-0).

“Queremos regressar às vitórias e sabemos que vai ser um jogo complicado contra uma boa equipa. Estamos a preparar com rigor, com determinação, este jogo e vamos com as armas todas que podermos porque elas irão ser todas precisas”, acrescentou o treinador.

O Santa Clara, oitavo classificado, com 25 pontos, recebe o Paços de Ferreira, quinto, com 38, no próximo sábado, às 17h00, no Estádio de São Miguel.

Daniel Ramos fez ainda questão de deixar, em nome do Santa Clara, uma mensagem de pesar à família de Alfredo Quintana, guarda-redes do FC Porto e da seleção portuguesa de andebol, que morreu hoje.

“Transmitir uma mensagem de pesar à família do Quintana, porque o desporto está mais triste e quando se perdem desta forma elementos muito válidos e pessoas, pelo que sei, muito boas, ficamos muito tristes e não ficamos indiferentes”, declarou.

Alfredo Quintana morreu esta sexta-feira, aos 32 anos, após sofrer uma paragem cardiorrespiratória na segunda-feira, durante o treino dos ‘azuis e brancos’, ao serviço dos quais conquistou seis campeonatos, uma Taça e duas Supertaças.