PUB

O treinador Jorge Simão alertou hoje que o jogo frente ao Marítimo pode ditar o resto da época do Santa Clara, prometendo uma equipa motivada para inverter a situação na I Liga de futebol.

“É um jogo cuja importância pode ditar aquilo que pode vir ser o resto da nossa época. Não creio que seja vantajoso estar a pintar esta realidade. Aquilo que fizemos até aqui trouxe-nos a esta situação. Ficamos mais longe do grupo das equipas que estão acima de nós”, afirmou Jorge Simão.

E prosseguiu: “Vamos defrontar uma equipa que está imediatamente abaixo de nós. Acho que o desfecho deste resultado pode ditar aquilo que pode vir a ser o futuro próximo do Santa Clara”.

PUB

O técnico falava hoje no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, antes da deslocação à Madeira, para defrontar o Marítimo.

Com a derrota na última jornada diante do Famalicão (1-3), o Santa Clara, 16.º classificado (posição que implica a disputa do play-off com o terceiro classificado da II Liga), ficou a sete pontos do lugar que assegura a manutenção automática no principal escalão do futebol nacional.

Os açorianos têm uma vantagem de dois pontos para o 17.º lugar, ocupado pelo Marítimo, que implica a despromoção à II Liga.

“Em caso de sucesso, acontece uma diferença pontual bastante significativa em relação ao Marítimo. Em caso de insucesso, a luta volta-se a embrenhar naquele pelotão cá de baixo. Esta é a realidade. Não há como fugir”, destacou o treinador do Santa Clara.

Questionado sobre se ainda acredita ser possível assegurar a manutenção na I Liga de forma direta, Jorge Simão defendeu que a “consciência” da equipa tem de estar no jogo da Madeira e que “depois logo se vê”.

“Não é uma questão de orgulho. É questão de percebermos e estarmos cientes das dificuldades que estamos a viver neste momento na tabela classificativa e preparar-nos o melhor possível para a luta pelos três pontos. Não há outra forma de abordar a questão”, reforçou.

O treinador avisou que o Marítimo está numa “situação semelhante” à do Santa Clara porque está a “lutar pela sobrevivência”, admitindo que tem faltado à sua equipa um “clique em determinados momentos do jogo” para voltar às vitórias.

“Todos nesta casa têm a perfeita noção e a consciência da situação que vivemos. Todos, começando pela estrutura, administração, jogadores, ‘staff’ e adeptos, têm dado o máximo. Não é uma questão de atitude. Não é questão de desleixo”, vincou.

O Santa Clara, 16.º classificado com 15 pontos, vai defrontar o Marítimo, 17.º com 13, no sábado, às 18:00, no estádio dos Barreiros, no Funchal, em jogo da 22.ª jornada da I Liga de futebol.

Pub