Pub

A transição energética e a aposta nas energias renováveis são pontos fulcrais do Plano de Investimentos do Governo dos Açores para 2023 – os Açores têm, atualmente, cerca de 40,2% de energia a partir de fontes renováveis e espera-se que, em 2026, atinjam os 61%.

A afirmação é da Secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral, e foi proferida esta terça-feira, durante uma visita à Graciólica, um projeto inovador e pioneiro nos Açores, com projeção a nível europeu, que coloca a ilha Graciosa na linha da frente relativamente ao aproveitamento dos recursos naturais renováveis para a produção de energia, em combinação com armazenamento e uma estratégia de controlo do sistema electroprodutor inovadora.

Esta iniciativa privada, estimulada pelo Governo dos Açores e pela EDA (através de incentivos e da disponibilização das instalações, respetivamente), recordou Berta Cabral, levou a ilha Graciosa a ser referenciada em inúmeras publicações nacionais e internacionais, por ter conseguido manter-se autossuficiente durante mais de 24 horas consecutivas.

Desta forma, adiantou a Secretária Regional que tutela a Energia, esta ilha e os Açores estão “na linha da frente pela utilização de tecnologias e sistemas de ponta que permitem a valorização energética dos seus recursos naturais”.

“Em 2021 a penetração de renováveis na Graciosa foi de 64,9%, tendo-se verificado 144 dias em que a energia foi 100% renovável. Devido aos bons resultados deste projeto piloto, poderá o mesmo ser replicado nas restantes oito ilhas, com base em sistemas de armazenamento de energia em grande escala”, sublinhou.

Berta Cabral destacou que uma das grandes apostas do executivo regional passa pela redução da dependência do exterior e pela adoção de uma energia mais limpa e menos oriunda de combustíveis fósseis.

Destacou o facto de a ilha Graciosa já ter minibus elétrico e bicicletas elétricas, estando agora a ser desenvolvido um projeto do Governo para a compra de termoaculumadores com vista a uma melhor gestão de energias renováveis.

Entretanto, a governante enalteceu a dinâmica da iniciativa privada no campo das energias renováveis, de que é exemplo a Graciólica.

Por último, Berta Cabral relembrou que já está disponível o SOLENERGE, sistema de atribuição de incentivos financeiros para a aquisição e instalação de sistemas solares fotovoltaicos nos Açores.

A Secretária Regional destacou “o caráter ambicioso e apelativo deste sistema de incentivos, na prossecução da tão desejada e inadiável transição energética nos Açores”.

Este sistema enquadra-se no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e visa aumentar a capacidade instalada em 12,6 MW, através de sistemas solares fotovoltaicos, numa aposta na eletrificação, produção descentralizada e armazenamento distribuído.

O novo incentivo tem uma dotação de 19 milhões de euros, estará em vigor até 2025 e destina-se às famílias, empresas, IPSS e outras organizações, permitindo comparticipar a aquisição de sistemas solares fotovoltaicos a 100%, até ao máximo de 1.500 euros por quilowatt instalado.

As candidaturas podem ser efetuadas através dos seguintes links: https://recuperarportugal.gov.pt/ e https://solenerge.azores.gov.pt/.

Pub