Foto: JEdgardo Vieira
Pub

O secretário das Finanças do novo Governo dos Açores, Joaquim Bastos e Silva, reconheceu hoje que, embora não seja uma novidade, “a dimensão da dívida e a situação das empresas públicas é uma preocupação” que tem.

Sendo uma “preocupação conhecida” mesmo antes de assumir funções, Bastos e Silva defende que o novo Governo deve ter uma “atitude moderada e construtiva” neste campo, além de ter de preparar os Açores para a situação pós-covid-19.

“É conhecida a situação, mas o que nos preocupa agora é como atuar relativamente à crise que vai ter uma agudização no primeiro semestre do próximo ano”, considerou também.

Questionado sobre a passagem de pastas entre executivos, o governante diz que se reuniu com o chefe de gabinete do antigo vice-presidente do executivo socialista, mas que Sérgio Ávila, que tutelava as Finanças, não compareceu no encontro.

“O meu antecessor não compareceu na reunião. Estive lá, fui muito bem recebido pelo chefe de gabinete. Fica registado que [Ávila] não compareceu à reunião”, declarou Bastos e Silva aos jornalistas, após a tomada de posse.

O novo Governo Regional dos Açores, liderado por José Manuel Bolieiro, do PSD, tomou hoje posse perante a Assembleia Legislativa da região, na cidade da Horta.

O líder do CDS na região, Artur Lima, é o vice-presidente do novo executivo.