Pub

As 3.354 vagas da 3.ª fase estão discriminadas no ‘site’ da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), onde é possível ver que a maioria dos lugares ainda disponíveis são em cursos no interior do país e em institutos politécnicos.

Já entre os cursos mais procurados, como é o caso das medicinas e alguns de engenharias, torna-se mais difícil encontrar instituições que tenham decidido voltar a abrir vagas.

No caso das medicinas, por exemplo, há apenas uma vaga no curso de Medicina da Universidade do Minho e outra no curso básico de Medicina da Faculdade de Ciências da Vida da Universidade da Madeira.

Nesta 3.º fase, as instituições de ensino superior optaram por abrir menos lugares do que os que tinham sobrado da 2.º fase, quando ficaram 4.441 vagas por preencher, mas mesmo assim os mais de três mil lugares são superiores ao habitual.

Pub

Os alunos têm até à próxima segunda-feira, dia 25, para se candidatarem a esta 3.º fase do concurso, cujos resultados serão conhecidos a 29 de outubro.

A DGEC divulga também hoje a lista das vagas autónomas, destinadas a dar respostas a casos como os estudantes que estudaram no estrangeiro, e aqui há mais vagas disponíveis em cursos de medicina.

Nesta fase do concurso para as vagas autónomas, há neste momento quatro vagas para o curso de medicina da Universidade do Minho e outras quatro para o da Universidade da Beira Interior.

As listas da DGES mostram que há três lugares no curso de Medicina da Universidade de Coimbra, outros três em Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve assim como no curso de Ciclo Básico de Medicina da Universidade da Madeira.

Finalmente, os alunos podem ainda tentar candidatar-se para as duas vagas abertas agora para o ciclo Básico de Medicina da Universidade dos Açores, na Faculdade de Ciências e Tecnologia.

A Direção-Geral do Ensino Superior estima que ano letivo se inscrevam mais de 100 mil novos estudantes, tendo em conta as diferentes formas de ingresso no ensino superior público e privado. No ano passado, previa-se cerca de 95 mil novos alunos.

Na 1.º fase do CNAES ficaram colocados quase 50 mil e na 2.º mais de nove mil estudantes.

Pub