Pub

AÇORES 9 TV EM DIRETO

Na abertura da nova temporada, em setembro, o Teatro Micaelense acolhe
três concertos do Festival Internacional dos Açores, que, na sua 17.ª
edição, assinala os cem anos do nascimento do escritor José Saramago. No
Teatro Micaelense atuarão a solo, em recital, os pianistas Young-Choon Park
(dia 2), Zoran Imširović (dia 3) e Gülsin Onay (dia 4). No dia 10 de
setembro, a Sinfonietta de Ponta Delgada apresenta-se em concerto com o
maestro Jean-Sébastien Béreau e com a pianista Ana Telles, interpretando um
programa arrojado, idealizado pelo maestro, que inclui obras de Gabriel
Pierné, Vincent D’Indy e Darius Milhaud. No dia 16, o BLUE SEA Project
apresenta “Marés em 9 cantos”, um espetáculo com direção musical de Filipe
Fonseca e narração e textos de Victor Rui Dores, que revisita, com novas
sonoridades e roupagens, a melhor música tradicional dos Açores. Setembro
marca ainda o regresso de Ana Moura ao palco do Teatro Micaelense. No dia
23, a cantora traz-nos temas do seu novo trabalho, como o single
“Andorinhas”, no qual reclama a liberdade de ser artista sem rótulos, sem
limites – tão imponente no fado como no rock, na soul como em balanços com
mais África dentro.

No Dia Mundial da Música, 1 de outubro, o Teatro Micaelense acolhe a
apresentação do livro “Sempre presente, mesmo ausente” — Margarida Magalhães
Sousa (1921-1993): uma vida dedicada à música, pelo Conservatório Regional
de Ponta Delgada, e um dos concertos do 1.º Festival Internacional de
Saxofones dos Açores (FISA). A 15 de outubro, no âmbito do ISTO
(International Social Tourism Organisation) World Congress 2022, Vasco
Ribeiro Casais apresenta OMIRI, um dos mais originais projetos de reinvenção
da música de raiz portuguesa. No dia 19, a International OCEAN FILM TOUR
volta a passar pelo Teatro Micaelense, com as melhores aventuras oceânicas,
desportos aquáticos e documentários ambientais a bordo.

Nos dias 21 e 22, o Teatro Micaelense acolhe mais uma edição da IMPRÓPRIA –
Mostra de Cinema de Igualdade de Género, com várias curtas-metragens que se
debruçam sobre temas como direitos humanos, orientação de desejo, estética
queer, violência de género ou identidade sexual. Ainda em outubro, no dia
29, regressa Palcomédia, o festival de comédia, que, nesta 4.ª edição, conta
com as participações dos humoristas Hélder Medeiros, João Nuno Gonçalo,
Miguel Neves, Valdemar Creador e Joel Ricardo Santos.

Nos dias 4 e 5 de novembro, o Teatro Micaelense volta a ser um dos palcos
do Azores Festival (Festival de Música dos Açores), onde se cruzam a música
Barroca e Antiga e a música erudita contemporânea. No dia 12, o 37.25 Núcleo
de Artes Performativas apresenta “Carta de Smith”, um espetáculo que integra
a programação do Paralelo Festival de Dança e busca inspiração no livro
“Atlas do Corpo e da Imaginação”, de Gonçalo M. Tavares. A 19 de novembro, a
Filarmónica Nossa Senhora das Neves apresenta-se num concerto com Ana
Bacalhau, uma intérprete ímpar, que, em palco, se entrega sempre como se
aquela pudesse ser a última vez que a ouvimos e vemos ao vivo. A 2.ª edição
do PDLJazz realiza-se de 24 a 26 de novembro. Da programação do festival,
promovido pelo Teatro Micaelense com a ambição de firmar a presença do jazz
na agenda da cidade e da ilha, fazem parte os concertos de Vânia Dilac & The
Soulmates (dia 24), Elisa Rodrigues (dia 25) e Sarah McKenzie, que se
apresenta em trio com Romero Lubambo e Jaques Morelenbaum (dia 26).

Em dezembro, no dia 3, a Sinfonietta de Ponta Delgada, dirigida por Amâncio
Cabral, apresenta a ópera “Orfeu e Eurídice”, de Christoph Willibald Gluck.
Ainda em dezembro, no dia 17, e a fechar a programação de 2022, Camané e
Mário Laginha trazem “Aqui está-se sossegado”, um novo projeto pensado de
raiz para dar mais brilho a uma voz e a um piano que se descobriram
cúmplices desde a primeira vez que encheram um palco.

Ao longo do quadrimestre, o Serviço Educativo do Teatro Micaelense promove
um conjunto de atividades dirigidas ao público escolar e familiar,
nomeadamente visitas guiadas, oficinas de expressão plástica e de expressão
corporal. Ainda no âmbito das iniciativas destinadas à comunidade escolar, o
Teatro Micaelense acolherá, uma vez mais, a Mostra Cinema Sem Conflitos, que
promove uma reflexão e consciencialização para as temáticas do ambiente,
amor e sexualidade, violência, emoções; racismo, entre outras.

O Teatro Micaelense encerrará de 1 a 22 de agosto. Durante esse período, os
bilhetes podem ser adquiridos em https://teatromicaelense.bol.pt. Ainda
antes dessa paragem, João Nuno Gonçalo e a Banda Harmonia Mosteirense
apresentam, no dia 30 de julho, “Bliconcerto”, um espetáculo de música e
stand-up comedy.

Pub