Surtos na Alemanha disparam reprodução do novo coronavírus

Uma série de surtos locais na Alemanha fez com que a reprodução do novo coronavírus tenha tido uma forte subida, situando-se a taxa de transmissão em 1,79, segundo os últimos dados do Instituto Robert Koch.

Ou seja, cada 100 portadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, contagiam, em média, 179 pessoas. A meta era manter o índice de reprodução (R) abaixo de 1.

O Instituto Robert Koch explicou que o aumento do indicador R se deve, em parte, ao facto de o número de casos ativos na Alemanha ser relativamente baixo e, por isso, todos os surtos locais têm uma forte repercussão nos cálculos.

“Não se pode concluir que haja um forte aumento dos casos a nível federal”, assumiu o Instituto Robert Koch no seu relatório diário.

O principal surto ocorreu numa indústria de carne em Gütersloh (oeste da Alemanha), onde houve mais de mil contágios.

Registaram-se ainda outros surtos, um num complexo de edifícios em Göttingen (norte) e outro num edifício de Berlim.

Em Göttingen, há cerca de 700 pessoas em quarentena, algumas das quais se revelaram contra a medida e, num dos complexos que registou 120 casos de infeções, atiraram objetos aos polícias que cercam os edifícios.

Em Gütersloh, registam-se 185,9 casos semanalmente por cada 100.000 habitantes, o que supera claramente o parâmetro-chave que indica que, quando há mais de 50 novas infeções por cada 100.000 habitantes num município, se devem tomar medidas especiais.

Neste caso, o primeiro-ministro do estado federal de Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, não descartou que se tenha de decretar um confinamento para Gütersloh e arredores, embora tenha dito que, de momento, a cadeia de infeções está controlada.

Göttingen também está próximo do nível crítico com 46 novos casos por semana, por cada 100 mil habitantes.

Na Alemanha, desde o começo da pandemia, registaram-se 191.314 casos de covid-19, sendo que desses, 174.885 recuperaram e 9.057 morreram.

Atualmente, o estado federal mais afetado no país é Renânia do Norte-Vestfália, com 2.306 casos ativos (12,9 por 100.000 habitantes), devido, em grande parte, ao surto de Gütersloh.

Seguido do de Baviera — o estado onde houve mais contágios desde o início da pandemia, com 48.253 — com, atualmente, 1.039 casos ativos, o que equivale a 7,9 por 100.000 habitantes.

A terra menos afetada é Mecklemburgo-Anti Pomerania (nordeste) com apenas 25 casos ativos, ou seja, 1,6 por 100.000 habitantes.

Na capital da Alemanha, Berlim, há 718 casos ativos, o equivalente a 19,7 por 100.000 habitantes.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 461 mil mortos e infetou mais de 8,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.528 pessoas das 38.841 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.