Sucesso da agricultura passa pela permanente antecipação e avaliação contínua das tendências dos consumidores

O Diretor Regional da Agricultura afirmou que o sucesso do setor agrícola nos Açores, com grande peso na economia regional, passa pela permanente aposta na qualidade, na diferenciação da produção, na inovação e em corresponder, antecipadamente, à evolução e à alteração dos hábitos alimentares dos consumidores e às necessidades dos mercados, salvaguardando sempre a questão da segurança alimentar.

“Governo, produtores e indústrias estão todos a trabalhar para tornar a agricultura nos Açores cada vez mais sustentável, mais competitiva e mais rentável. O esforço tem de ser comum para que se possam alcançar melhores resultados”, frisou José Élio Ventura, que falava segunda-feira, em Angra do Heroísmo, na iniciativa ‘Noite da Palestra’, organizada pela AJAT – Associação de Jovens Agricultores Terceirenses.

José Élio Ventura, que proferiu uma palestra sobre ‘Evolução e Novos Desafios da Agricultura Terceirense’, considerou que os Açores constituem “um bom exemplo” pelo desenvolvimento que todo o setor tem registado, pela melhoria da qualidade das suas produções, através da certificação, da produção biológica, mas também pelos seus agricultores, que têm sido capazes de enfrentar e ultrapassar vários desafios.

“No setor do leite, por exemplo, apesar da diminuição do número de produtores, a produção tem vindo sempre a crescer, bem como a qualidade da matéria prima. Na carne, passamos de cerca de 76 mil animais de vocação para carne em 2006 para 94 mil em 2018”, disse o Diretor Regional.

Atualmente, dos 2.396 produtores de leite existentes nos Açores, 692 são da ilha Terceira, onde a média de produção por exploração ronda 226 mil litros.

O Diretor Regional adiantou que, entre 2012 e 2018, foram apoiados no âmbito da aquisição de reprodutores de raças puras de carne 835 bovinos, dos quais 91 da ilha Terceira, num valor global de 675 mil euros.

José Élio Ventura frisou ainda que as zonas rurais são de extrema importância para a consolidação dos ecossistemas, da biodiversidade, da produção agroalimentar, considerando vital promover “a procura de estratégias colaborativas e incentivadoras de empreendedorismo ao nível agrícola e de criação de novos negócios”.

Com o crescimento contínuo da população mundial, José Élio Ventura salientou que os Açores têm de ser capazes de antever as necessidades dos mercados, para corresponder à procura dos consumidores e, deste modo, conseguir valorizar a sua produção agrícola.

Partilhar