PUB

O Sporting de Braga venceu hoje em casa o Boavista por 1-0, na 16.ª jornada da I Liga de futebol, e reduziu para três pontos a diferença para o líder Benfica, que no domingo tem dérbi com o Sporting.

Um golo solitário de Vitinha, aos 46 minutos, garantiu o quarto triunfo consecutivo aos bracarenses no campeonato, num jogo em que o novo selecionador nacional, o espanhol Roberto Martínez, esteve nas bancadas.

Com a vitória de hoje, o Sporting de Braga passa a somar 37 pontos, no segundo lugar, e coloca pressão sobre o líder Benfica, que no domingo recebe o Sporting, enquanto os ‘axadrezados’, que têm um jogo em atraso e que até tinham vencido na última jornada que disputaram, são nonos, com 20.

PUB

 

Vitinha ‘descobre’ ocasião em erro defensivo do Boavista e dá triunfo ao Braga

Um golo de Vitinha deu hoje ao Sporting de Braga uma vitória difícil sobre o Boavista, por 1-0, na 16.ª jornada da I Liga de futebol, num jogo muito pobre em termos qualitativos.

Num encontro equilibrado, o único golo surgiu nos primeiros segundos da segunda parte, com o internacional sub-21 a ‘inventar’ uma oportunidade num desentendimento da defensiva ‘axadrezada’ e a dar três pontos muito importantes aos minhotos na luta pelos lugares cimeiros.

A quarta vitória consecutiva no campeonato coloca, à condição, os bracarenses a três pontos do líder Benfica que recebe, no domingo, o Sporting. Já o Boavista regressa às derrotas, após a vitória caseira na última jornada (1-0 ao Gil Vicente), e mostrou muitas debilidades ofensivas.

As duas equipas proporcionaram um espetáculo muito pobre ao novo selecionador nacional, Roberto Martínez, presente no municipal bracarense: sem velocidade, nem intensidade, o jogo desenrolou-se ‘morno’ e com raros motivos de interesse – só mesmo Vitinha aproveitou para se mostrar ao técnico espanhol.

De volta ao ‘4x4x2’, Artur Jorge apresentou um ‘onze’ com duas novidades, Tormena e Vitinha, enquanto Petit fez apenas uma mudança, com Sasso a substituir o castigado Reggie Cannon.

O Sporting de Braga começou com mais bola, mas sem ideias, e o Boavista muito pouco audaz e fechado lá atrás.

Só perto da meia hora de jogo, a equipa axadrezada foi saindo do seu meio-campo e Yusupha criou algum perigo, sobretudo num cabeceamento aos 33 minutos, após centro largo de Bruno Onyemaechi.

O melhor lance do Sporting de Braga no primeiro tempo surgiu pouco depois, num remate em arco de Vitinha já bem dentro da área que obrigou Bracali a defesa difícil (37), muito pouco para o segundo classificado do campeonato.

André Horta surgiu no lugar de Racic (saiu tocado) para a segunda parte e não tinham passado ainda 10 segundos quando surgiu o golo dos minhotos.

Bruno Onyemaechi fez um passe atrasado para a sua área, mas nem Rodrigo Abascal, nem Bracali se fizeram ao lance, permitindo a Vitinha intercetar a bola e rematar de pronto, de pé esquerdo, ante a saída do guardião brasileiro (46).

O Boavista assumiu depois as despesas do jogo e passou mais tempo perto da baliza bracarense, criando alguns lances de relativo perigo, mas nenhuma situação clara de golo.

Petit reforçou o ataque com Salvador Agra e Gorré, enquanto Artur Jorge foi refrescando a equipa, até porque esta tinha jogado três dias antes uns desgastantes ‘oitavos’ da Taça de Portugal com o Vitória de Guimarães (triunfo por 3-2, com reviravolta perto do fim).

O treinador do Boavista lançou o ‘gigante’ Bozenik e Martim Tavares (este apenas aos…90+1), mas o Boavista não conseguia ligar uma jogada ofensiva.

Pouco ‘fresco’, o Sporting de Braga privilegiava segurar o triunfo e adotou uma postura de bloco mais baixo, neutralizando qualquer investida contrária.

Pub