A secretária regional da Educação dos Açores anunciou esta sexta-feira, 5 de março, que vai arrancar em 11 de março um Programa Especial de Acompanhamento Educativo para os alunos de Rabo de Peixe, que se mantém em cerca sanitária.

 “Este programa de apoio, e de participação, naturalmente, facultativa, funcionará em modo presencial e pretende complementar o ensino à distância”, afirmou Sofia Ribeiro, citada em nota de imprensa.

O objetivo é prestar “um apoio extra ao trabalho e estudo dos alunos, visando igualmente o seu acompanhamento emocional e o reforço propedêutico das normas sanitárias que devem ser tomadas por todos nós no combate a esta pandemia”.

É, assim, assumida, “não somente uma vertente pedagógica, como social e profilática”, numa freguesia que está desde 15 de janeiro sujeita a cerca sanitária, embora o perímetro já tenha sido reduzido por duas vezes, situando-se agora no território a norte da Rua da Praça e na Rua da Nossa Senhora de Fátima, incluindo o bairro situado nas ruas Francisco Andrade e Afonso Maria Tavares.

As atividades presenciais previstas “decorrerão nos vários estabelecimentos de ensino da EBI de Rabo de Peixe e da Escola Profissional da Ribeira Grande, que se situam na Vila de Rabo de Peixe na zona exterior à cerca sanitária, bem como no Centro de Artes e Ofícios desta instituição de ensino, em parceria com a Câmara Municipal da Ribeira Grande”.

“O Centro de Artes e Ofícios, situando-se no interior da cerca, acolherá todos os alunos que vivem nessa zona da freguesia, enquanto que os restantes alunos terão as suas atividades nos estabelecimentos de ensino em que estão inscritos”, concretizou a secretária regional.

Para assegurar a segurança sanitária, “serão constituídos pequenos grupos de alunos e todo o trabalho assentará no desfasamento de horários”.

A responsável pela tutela da Educação adiantou ainda que “os professores que exercerão esta atividade no Centro de Artes e Ofícios deverão fazê-lo de forma voluntária, inscrevendo-se o trabalho no seu horário semanal, na respetiva componente letiva”.

Sofia Ribeiro terminou apelando “ao elevado sentido cívico e de solidariedade de cada docente na forma empenhada como habitualmente dirige o seu trabalho aos seus alunos, tanto mais nesta situação muito particular, em que, por motivos de contenção pandémica, os alunos do interior da cerca sanitária se têm encontrado especialmente confinados, merecendo uma atenção especial”.