Sobe para 12 número de mortos em incêndio no hospital do Rio de Janeiro

O número de mortos após o incêndio que ocorreu na semana passada num hospital do Rio de Janeiro, Brasil, subiu para 12, segundo um comunicado enviado na segunda-feira pela unidade de saúde à imprensa local.

“Informamos com profundo pesar que uma paciente transferida do Hospital Badim para o Hospital Copa D’Or veio a falecer na manhã desta segunda-feira. Ressaltamos que todos os esforços e dedicação das equipas médicas envolvidas foram empenhados para a recuperação da paciente, assim como tem sido feito diariamente no atendimento prestado”, diz o comunicado, citado pelo portal de notícias G1.

“Informamos ainda que uma colaboradora deu entrada na noite de domingo no Hospital Copa D’Or com sintomas possivelmente decorrentes do incêndio”, acrescentou ainda o hospital Badim, onde decorreu o incêndio.

Dos 103 pacientes que estavam na unidade hospitalar, no momento do incêndio, 54 permanecem internados.

Além dos pacientes, também 10 funcionários e acompanhantes dos doentes encontram-se internados.

Na sexta-feira, o Instituto Médico Legal (IML) brasileiro informou que a maioria das vítimas morreu por asfixia devido à inalação de fumo.

O incêndio, que teve início no final da tarde de quinta-feira no Hospital Badim, localizado no bairro de Maracaná, foi provocado por um curto-circuito no gerador de um dos edifícios da unidade de saúde, vitimou mortalmente nove mulheres e três homens, todos com mais de 66 anos, e não resultou em corpos carbonizados, segundo informou o IML.

Outro dos motivos que levou à morte de alguns pacientes, segundo o instituto, foi o facto de os equipamentos que mantinham os doentes vivos terem deixado de funcionar com o incêndio.

Os pacientes que morreram devido ao incêndio estavam internados no Centro de Tratamento Intensivo, no terceiro andar do prédio mais antigo do hospital, onde as chamas terão começado.