Só um eurodeputado Açoriano conseguirá sensibilizar a Europa para a sustentabilidade das nossas Pescas, defende André Bradford

O candidato do PS/Açores às eleições Europeias do próximo dia 26 de maio defendeu, esta terça-feira, que as autoridades Europeias devem “reconhecer a preocupação Açoriana com a preservação e sustentabilidade das espécies”, reiterando que apenas um eurodeputado Açoriano conseguirá sensibilizar a Europa para a sustentabilidade das nossas Pescas.

André Bradford falava após a visita à Lota e ao Porto de Pescas de São Mateus, em Angra do Heroísmo.

“A nossa pesca não é de larga escala, não é intensiva e industrial como é boa parte da pesca Europeia. A pesca Açoriana recorre a artes que preservam as espécies, que revelam preocupação com a sustentabilidade, e que tem vindo a associar a atividade económica a uma lógica científica”, sublinhou André Bradford.

Sendo as pescas um setor em que o funcionamento das instâncias Europeias é muito próximo, como no caso da Região Autónoma dos Açores, o Socialista garantiu ser esta uma área que “queremos continuar a salvaguardar e a defender”, adiantando que no caso específico de São Mateus “é muito notória a importância socioeconómica que têm as pescas e a ligação que vai para além da área produtiva e que se estende para uma identidade cultural, uma lógica comunitária”.

Relativamente ao princípio de precaução e preservação das espécies, André Bradford sublinha estar a “ser feito um trabalho com sucesso”, realçando que “temos várias pescarias que estão sujeitas a limites de tamanho ou de época de captura ou sistema de quota, e isso deve ser reconhecido pelas autoridades Europeias e deve ser muito defendido por quem tem obrigação de representar a Região”.

“É também importante garantir que se possam equacionar apoios à frota que tornem essa atividade mais segura e a frota mais capaz. Às vezes as autoridades Europeias confundem aquilo que para nós é uma questão de segurança com a questão de esforço de pesca. No nosso caso, o esforço de pesca é um conceito muito relativo, não deve ser comparado com as grandes frotas europeias e deve ser visto à luz da nossa escala”, frisou.

Neste seu regresso à ilha Terceira no âmbito da campanha, o Socialista visitou um conjunto de projetos centrados numa lógica de implantação local, mas que ganharam outra implantação com o Turismo na Região.

“Tem sido feito um trabalho na qualificação do destino, da oferta, de posicionamento no mercado. A Terceira, tal como outras ilhas dos Açores, tem hoje outra capacidade de receber, alojar e fazer isso em consonância com aquilo que nos é próprio”, destacou André Bradford.

Para o candidato do PS/Açores, devemos “ser capazes de nos diferenciar daquilo que é próprio dos Açores e que deve ser reconhecido pelas entidades Europeias e isso tem muito que ver com a atualização do Estatuto de Ultraperiferia”.

“Acho que estamos em tempo de olhar a Ultraperiferia naquilo que ela tem de específico e naquilo que ela representa no desafio do Desenvolvimento. Tem de se pensar áreas como os Transportes, a partir do caso concreto de cada uma das Regiões Ultraperiféricas”, defendeu o candidato do PS/Açores às eleições Europeias de 26 de maio, André Bradford.