Pub

O cabeça de lista do PS/Açores à Assembleia da República defendeu esta segunda-feira a importância de se manter o Governo de António Costa como sendo uma oportunidade “de conseguirmos manter o que de bom tivemos até agora, mantendo e reforçando o nível dos apoios alcançados”.

Para Francisco César, que falava à margem de uma reunião com a Federação das Pescas dos Açores, num dia cujas iniciativas de campanha foram dedicadas ao setor, “é importante termos um governo do Partido Socialista, liderado por António Costa, com um Ministro do Mar que é também dos Açores e que tem tido uma atenção especial em relação ao setor das pescas”.

Salientando ser o setor um dos mais importantes para a Região Autónoma dos Açores, quer em termos exportadores como no sustento a toda uma pequena indústria e serviços relacionados, como por exemplo, o turismo, Francisco César destacou o “extraordinário trabalho” que tem vindo a ser desenvolvido do ponto de vista do reforço das quotas de pesca, “nomeadamente do atum patudo e do espadarte, para que os pescadores dos Açores possam, mantendo a sustentabilidade dos recursos, ter oportunidade de efetuar capturas e com isso aumentar o seu rendimento”.

O socialista mencionou ainda, na ocasião, os problemas que se verificaram no passado relacionados com a certificação e licenciamento de embarcações de pesca, situação cujo tempo de espera para licenciamento por parte dos organismos do Governo da República, ultrapassa o esperado.

“Felizmente, nos últimos anos, isso acabou, e hoje temos os técnicos da Direção-geral a vir semanalmente aos Açores resolver e agilizar também o problema de licenciamento dessas embarcações”, acrescentou.

Para Francisco César, esta é a oportunidade de, no próximo dia 30 de janeiro, “revalidarmos, com uma força redobrada o Governo do Partido Socialista na República, e também nos Açores”, mas manter, também o que de bom tivemos, até agora como também no futuro, “reforçando e trabalhando, todos em conjunto, para que este setor possa melhorar a sua atividade e possa continuar a ser competitivo e a trazer, sobretudo, mais rendimento aos profissionais da pesca”.

Pub