Sistema de avaliação das respostas sociais na área de apoio à pessoa com deficiência já arrancou

Paulo Fontes, Diretor Regional da Solidariedade Social

O Diretor Regional da Solidariedade Social afirmou hoje, na Praia da Vitória, que o inquérito de satisfação aos utentes para avaliação das respostas sociais, anunciado pelo Governo dos Açores, já começou a ser aplicado nos Centros de Atividades Ocupacionais e nos Lares Residenciais.

Paulo Fontes, que falava no final de uma visita ao Centro de Apoio à Deficiência, salientou que este sistema de avaliação tem como objetivo principal “aferir junto das pessoas apoiadas a sua opinião sobre o funcionamento das respostas sociais, de uma forma anónima e confidencial”.

Esta forma de avaliação, acrescentou, “permite aprofundar o conhecimento dessas respostas e detetar atempadamente situações a melhorar ao nível dos serviços das Instituições Particulares de Solidariedade Social e Misericórdias com valências protocoladas”.

A implementação do Sistema de Avaliação das Respostas Sociais através da apreciação da satisfação dos utentes é um objetivo que surge no âmbito do programa AQI – Avaliar, Qualificar e Inserir.

Os objetivos gerais deste programa visam melhorar e adequar o serviço prestado no âmbito das respostas sociais dirigidas às pessoas com deficiência e promover a integração, inserção e inclusão socioprofissional destas pessoas.

Esta avaliação é feita por colaboradores da Direção Regional da Solidariedade Social, através de inquéritos por questionário, garantindo o anonimato e a confidencialidade, de forma a informar as principais necessidades sentidas e a possibilitar a melhoria contínua dos serviços prestados.

Os questionários serão aplicados a utentes que tenham reconhecida capacidade para responder, a partir da identificação feita pelos Centros de Atividades Ocupacionais dos Açores.

Simultaneamente, será feita a avaliação da satisfação com esta resposta social junto das famílias/cuidadores de pessoas com deficiência ali integradas.

Esse sistema de avaliação das respostas sociais será também implementado, numa fase posterior, na área das pessoas idosas, com os inquéritos a serem efetuados junto dos utentes de 18 estruturas residenciais para idosos do arquipélago.