PUB

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT) pediu hoje ao Governo e aos deputados medidas urgentes contra “a criminosa atuação” dos CTT, no dia em que encerraram oito das 22 estações que a empresa prevê fechar.

As estações dos CTT de Avenida (Loulé), Filipa de Lencastre (Sintra), Junqueira (Lisboa), Lavradio (Barreiro), Olaias (Lisboa), Socorro (Lisboa), Universidade (Aveiro) e Barrosinhas (Águeda) fecharam hoje, no âmbito do plano de reestruturação da empresa, que prevê encerrar um total de 22, informou a empresa.

De acordo com o coordenador do SNTCT, José Oliveira, trabalhadores foram confrontados com o encerramento das estações na quinta-feira, no final do horário de trabalho.

PUB
Pub