Sindicato diz que se mantém adesão de 80% na greve na Azores Airlines

A Azores Airlines garantiu que ainda não registou esta manhã nenhum cancelamento na sequência da greve dos tripulantes de cabine, enquanto o sindicato afirma que o segundo dia de paralisação mantêm-se nos 80%.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) apresentou um pré-aviso de greve para os dias 18, 19, 20 e 21 (segunda-feira) deste mês.

O porta-voz da companhia aérea açoriana disse à agência Lusa que “esta manhã ainda não se registou nenhum cancelamento em relação aos voos programados”.

António Portugal adiantou que “já foram realizados os voos Lisboa/Pico (este no cumprimento dos “serviços mínimos”), Lisboa/Ponta Delgada, Ponta Delgada/Lisboa, Ponta Delgada/Porto e Ponta Delgada/Funchal”.

O porta-voz da SATA indicou ainda que, “ao final do dia de hoje”, a companhia “fará um balanço dos voos e passageiros afetados“.

Contactado pela Lusa fonte do sindicato referiu que a adesão a greve, no segundo dia, “se mantém nos 80%”, acrescentando que “os voos estão a fazer-se com tripulações mínimas de quatro pessoas”.

O porta-voz da SATA explicou, no entanto, à Lusa que “ao nível de segurança estão definidos os quantitativos de tripulação mínima de cabine”.

“É normal, mesmo em situações que não sejam de greve, efetuarem-se voos com tripulação mínima e de acordo com aquilo que está regulamentado”, acrescentou.

Na sexta-feira, ao final do dia, a Azores Airlines referiu, em comunicado, que foram canceladas cinco ligações, das 12 programadas, devido à greve dos tripulantes de cabine, mas assegurou que todos os passageiros foram reacomodados noutros voos.

De acordo com a SATA, nos próximos dias, no âmbito dos serviços mínimos obrigatórios, estão asseguradas as ligações entre o continente português e as ilhas de Santa Maria, Faial e Pico.

Quanto à segunda-feira, último dia da greve, estão também assegurados os voos Lisboa-Ponta Delgada-Lisboa (S4121 e S4124), Terceira-Lisboa-Terceira (S4136 e S4137) e Ponta Delgada-Porto-Ponta Delgada (S4172 e S4173), que serão operados em regime de ACMI (regime de aluguer de aeronave e tripulação) que, de acordo com a Azores Airlines, já tinham sido contratualizados antes do pré-aviso de greve.

Na sequência do pré-aviso de greve, a SATA Internacional-Azores Airlines acionou o seu plano de contingência, referindo que a paralisação poderá afetar as ligações áreas com atrasos ou cancelamentos.

A companhia aérea sublinha que os passageiros com reservas efetuadas para as datas data da greve podem pedir “a alteração da sua viagem para data posterior (sem custos adicionais) ou solicitar o reembolso da mesma”.

No mesmo comunicado, divulgado na sexta-feira, a companhia assegura que os passageiros afetados “foram todos reacomodados” em voos do grupo SATA ou operados por parceiros aéreos e foi garantida “a assistência em terra necessária (alojamento, transporte e refeições, de acordo com cada caso)”, nas situações em que a reacomodação não foi possível no próprio dia.