PUB

O Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (SNBP) disse hoje que está a acompanhar as demissões de três dirigentes da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santa Cruz das Flores, na sequência de um conflito em curso na instituição.

Num comunicado, o sindicato refere que “está a acompanhar a situação decorrente do facto das três demissões dos dirigentes da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santa Cruz das Flores que ontem [quinta-feira], dia 05 de Janeiro de 2023, acontecerem no decorrer da reunião da assembleia geral da referida associação”.

Há cerca de três meses, a corporação de bombeiros e a direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santa Cruz das Flores entraram em conflito, tendo surgido vários processos disciplinares.

PUB

Em nota de imprensa, o SNBP refere que tem “acompanhado, desde o início, todo este processo de atropelamento dos direitos dos trabalhadores, dos seus associados e tem diligenciado por efetuar todas as comunicações e participações necessárias às entidades competentes, a fim de salvaguardar a situação laboral, de voluntariado e até física dos mesmos, bem como a manutenção da prestação de socorro a toda a população, com toda a eficácia e prontidão necessária e exigível”.

A estrutura sindical aguarda a “finalização do inquérito que está a ser levado a cabo pelo Inspetor Regional do Serviço Regional de Proteção Civil dos Açores, pedida pelo SNBP”, acreditando-se que “será isenta e eficaz na salvaguarda dos direitos e deveres de todos os envolvidos”.

Aguarda-se da mesma forma “todas as decisões das demais instituições já contactadas pelo SNBP sobre a referida situação dos seus associados e trabalhadores da referida associação de bombeiros”.

“Estamos preocupados com toda esta situação, que pode eventualmente colocar em risco a população de Santa Cruz das Flores, o normal funcionamento do corpo de bombeiros e a salvaguarda da vida de pessoas e bens. Referimos uma vez mais, a nossa preocupação junto dos presidentes das Câmaras Municipais da Lajes das Flores e Santa Cruz das Flores, bem como ao presidente do Serviço Regional de Proteção Civil dos Açores”, declara o SNBP.

Pub