“SEMPRE TUNO” disco de despedida da Real Extudantina dos Açores, lançado a 19 de Janeiro

A Real Extudantina dos Açores (RExA) prepara-se para lançar um trabalho discográfico com o título “Sempre Tuno”.

Este trabalho tem o intuito de ser um repositório dos 10 anos de existência da RExA. A tuna fundada em 2007, apresentará o referido trabalho no dia 19 de Janeiro deste novo ano (mês em que se celebram 10 anos da sua estreia em palco), numa cerimónia que marcará também a suspensão de actividade deste grupo.

O evento acontecerá pelas 19h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, concelho onde está sedeada a associação que suporta a RExA.

A apresentação de “Sempre Tuno” estará a cargo do Maestro e Compositor Antero Ávila, estando ainda presente o Dr. Rogério Sousa que fará uma alocução relativa ao percurso de 10 anos da RExA.

O trabalho a apresentar foi gravado e masterizado na ilha Terceira, no estúdio 2 da Soundivision por João Mendes, tendo estado a direcção musical a cargo de Pedro Machado. Esta produção contou ainda com o design gráfico de Sérgio Caldeira.

No alinhamento do disco encontram-se 9 temas que constituíram o repertório principal da RExA, sendo 4 dos quais originais, 1 tema tradicional e 4 temas re-arranjados pela RExA.

A Real Extudantina dos Açores
A RExA – Real Extudantina dos Açores nasceu na noite do Samhain (31 de Outubro) de 2007, quando 5 antigos Tunos se reuniram em redor de uma vontade antiga: formar uma tuna de antigos tunos.

Desde aquela noite mística, e durante um ano, antigos membros de Tunas Universitárias, representando as mais diversas academias de Portugal, juntaram-se de forma a ser cumprido o objectivo inicial, surgindo assim as primeiras composições musicais que constituem o reportório da RExA.

Sob o lema “Uma vez Tuno, para sempre Tuno”, a paixão pela música, pela amizade e pela vida, assim como a partilha de diversas experiências e vivências lideraram a vontade de todos os elementos da então formada Real Extudantina dos Açores.

Todos estes factores permitiram que no dia 24 de Janeiro de 2009, o Auditório do Ramo Grande na Praia da Vitória acolhesse os primeiros acordes públicos da Real Extudantina dos Açores – “Quandum Tunae, Semper Tunae”.

Nessa “I Gala da Real Extudantina dos Açores” estiveram presentes todas as tunas académicas da ilha Terceira. Como parte integrante do espectáculo, aconteceu ainda uma homenagem a músicos naturais da Praia da Vitória.

No decorrer de 2009 a RExA actuou um pouco por toda a ilha Terceira, incluindo as Festas Sanjoaninas, Festas da Praia e os festivais de tunas que aconteceram na ilha (extra-concurso). O ano de 2010 foi novamente pautado por diversas actuações.

A RExA organizou a sua II Gala, no Auditório do Ramo Grande, homenageando, no decorrer da mesma, o músico e compositor Luís Gil Bettencourt. Em Outubro desse ano deslocou-se ao Funchal, ilha da Madeira, para participar no X FESTA – Festival Internacional de Tunas do Atlântico, actuando ao lado de conceituadas tunas portuguesas e espanholas. No mês seguinte participou, a concurso, no festival Noites de Bruma que decorreu no Teatro Angrense, na ilha Terceira.

Em 2011, a RExA, levou a efeito a sua III Gala. Nesta edição coube a homenagem à intérprete e compositora Susana Coelho. Uma vez mais, participaram tunas académicas da ilha Terceira que em boa hora se associaram ao evento.

Em 2012, a RExA deslocou-se a Castelo Branco a convite da organização do XIII FITAs – Festival Internacional de Tunas Académicas em Castelo Branco. A partir desse ano, a participação da RExA a concurso em festivais internacionais, em representação da ilha Terceira e dos Açores, tornou-se anual.

Em 2013 participa no X “Terras de Cante” – Festival Internacional de Tunas Universitárias da Cidade de Beja e no ano seguinte no XV “El Açor” – Festival Internacional de Tunas em Ponta Delgada, assim como no X “Ciclone” –

Festival de Tunas Cidade de Angra do Heroísmo, em Angra do Heroísmo.
Em 2015 apresenta-se na Covilhã, no XIII FESTUBI – Festival de Tunas da Universidade da Beira Interior e em 2016 no XVII “El Açor” – Festival Internacional de Tunas em Ponta Delgada e no XIV Festa Ibérica – Festival Internacional de Tunas Universitárias de Trás-os-Montes e Alto Douro na cidade de Vila Real.

Palmarés 2007- 2017 (Festivais a concurso):
X FESTA – Festival Internacional de Tunas do Atlântico – Madeira – 2010 – 2ª Melhor Tuna – Melhor Porta-Estandarte
I “Noites de Bruma” – Festival de Tunas Mistas & Masculinas – Angra do Heroísmo – 2010 – Melhor Tuna – Melhor Original – Melhor Solista – Melhor Estandarte – Melhor Instrumental – Melhor Serenata
XII FITAs – Festival Internacional de Tunas Académicas em Castelo Branco – 2012 – Melhor Tuna – Melhor Pasacalles – Melhor Serenata – Melhor Instrumental – Tuna Mais Tuna
X “Terras de Cante” – Festival Internacional de Tunas Universitárias da Cidade de Beja – 2013 – Melhor Tuna – Melhor Pasacalles – Melhor Instrumental
X “Ciclone” – Festival de Tunas Cidade de Angra do Heroísmo – 2014 – Melhor Tuna – Tuna do Público – Melhor Instrumental – Melhor Solista – Melhor Original
XV “El Açor” – Festival Internacional de Tunas – Ponta Delgada – 2014 – Melhor Tuna – Melhor Instrumental XIII FESTUBI – Festival de Tunas da Universidade da Beira Interior – Covilhã – 2015 – Melhor Tuna – Menção honrosa pelos arranjos vocais – Melhor original – Melhor instrumental – Melhor Pasacalles XVII “El Açor” – Festival Internacional de Tunas – Ponta Delgada – 2016 – 3ª Melhor Tuna – Melhor Instrumental – Melhor Estandarte – Melhor Original XIV Festa Ibérica – Festival Internacional de Tunas Universitárias de Trás-os-Montes e Alto Douro – Vila Real – 2016 – Melhor Tuna – Melhor Instrumental