Pub

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, através da Direção Regional da Cultura, promove amanhã, 09 de junho, pelas 21h00, na Carmina – Galeria de Arte Contemporânea Dimas Simas Lopes, em Angra do Heroísmo, a inauguração na exposição de fotografia ‘Blood Red Luxury’, de Luís Godinho.

Na mostra ‘Blood Red Luxury’, patente ao público até 18 de setembro, Luís Godinho reporta as condições desumanas em que é feito o garimpo de pedras semipreciosas de Ganet (Granada), na Mina de Thatha, localizada no distrito de Ancuabe, província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, na comunidade de Mahera.

Os terrenos são do Governo, mas a exploração é ilegal e sem condições mínimas de trabalho, tanto ao nível da higiene como da segurança. Além do impacto ambiental e dos danos pessoais decorrentes dos acidentes, esta situação reflete-se em termos sociais, provocando o aumento do abandono escolar, da prostituição e de doenças como a tuberculose e o VIH-SIDA

Na ocasião, decorrerá também uma conversa com o Hugo Tiago, crítico e comentador de fotografia, sobre o percurso deste fotógrafo terceirense e sobre as circunstâncias que motivaram estes registos em particular.

Pub

A inauguração decorre em regime de livre acesso, cumprindo-se as normas de segurança determinadas pela legislação em vigor, pelo que a participação é limitada e definida em função da ordem de chegada dos participantes.

Luís Godinho nasceu em Angra do Heroísmo, em 1983. Licenciado em Engenharia e Gestão Ambiental pela Universidade dos Açores, tem um vasto currículo como fotógrafo, com destaque para a fotografia documental e fotojornalismo.

Tornou-se fotógrafo profissional em 2017 e o seu trabalho é reconhecido internacionalmente pelos editores dos principais ‘sites’ e revistas de fotografia, incluindo a National Geographic, Leica Fotografie International, Lens Culture, 500px e 1x.

Vencedor e finalista de vários concursos internacionais, tem também fotografias publicadas em vários livros internacionais de fotografia, sendo que em 2017 ganhou o Primeiro Prémio dos Sony World Photography Awards.

Luís Godinho foi Câmara de Prata, em 2019, e de Bronze, em 2020, no Concurso de Fotógrafo Europeu do Ano, ambos na categoria de fotojornalismo, e vive atualmente nos Açores, trabalhando como fotógrafo ‘freelancer’ em todo o mundo.

Pub