PUB

A transportadora aérea açoriana SATA vai realizar, ao início da tarde de hoje, um voo de reforço com 800 quilos de bens perecíveis para a população da ilha das Flores, nos Açores, disse o Governo Regional.

“Além do voo normal de hoje, que transporta 1.800 quilos de carga de bens perecíveis, a SATA vai realizar um voo de reforço apenas para transporte de mercadoria”, disse à agência Lusa o diretor regional da Mobilidade, Rui Coutinho.

De acordo com o responsável, o aparelho, que sairá de Ponta Delgada (ilha de São Miguel) por volta das 14:30 locais (15:30 em Lisboa) “vai colocar na ilha das Flores mais 800 quilos” de mercadoria, nomeadamente “bens perecíveis e produtos frescos, como iogurtes, leite e fruta, bens que sejam necessários para a população, no imediato”.

PUB

“Faço um apelo aos comerciantes para que, junto dos transitários, façam chegar os bens às cargas da SATA para serem transportados para as Flores”, referiu o governante que esteve na quarta-feira no porto das Lajes das Flores.

Na quinta-feira, o navio de transporte de mercadorias para as Flores não conseguiu descarregar a carga porque o porto está “praticamente sem quebra-mar”, após a destruição agravada pela tempestade de sábado, segundo disse o capitão.

Segundo o capitão do porto da Horta e Santa Cruz das Flores, João Mendes Cabeças, o navio “ainda chegou a atracar, mas ao fim de cinco minutos tinha partidos dois cabos de amarração e não conseguia operar”, pelo que voltou para trás.

O capitão acrescentou à Lusa que “a operação portuária está comprometida” e dependente das condições do mar, sendo que “qualquer ondulação tem uma grande influência no porto” de Lajes das Flores.

O diretor regional da Mobilidade adiantou hoje à Lusa que “na próxima quarta-feira”, o navio “deverá voltar outra vez às Flores” para uma nova tentativa de atracagem.

Em 21 de outubro a operacionalidade do porto das Lajes das Flores foi reposta com a primeira atracação do navio “Monte da Guia” na nova ponte-cais, entretanto construída.

O projeto do porto para repor “definitivamente” a capacidade portuária da infraestrutura das Lajes das Flores tem previsão de lançamento de procedimento concursal no primeiro trimestre de 2023 e a obra deverá ficar concluída até final de 2028.

Na quarta-feira Rui Coutinho disse à Lusa que o mau tempo não vai colocar em causa a calendarização do projeto de beneficiação em curso, na sequência da destruição provocada em 2019 pela passagem, no local, do furacão Lorenzo.

O projeto do porto para repor “definitivamente” a capacidade portuária da infraestrutura das Lajes das Flores tem previsão de lançamento de procedimento concursal no primeiro trimestre de 2023 e a obra deverá ficar concluída até final de 2028.

Pub