PUB

O presidente da SAD do Santa Clara, Bruno Vicintin, avançou hoje que o clube está a procurar um treinador português com experiência no futebol nacional e pediu desculpa aos adeptos pelos resultados recentes.

“O perfil que procuramos é um treinador português com experiência na I Liga. Mesmo os que não tenham experiência na I Liga, que tenham experiência no campeonato português, mesmo que seja da II liga”, afirmou.

O presidente da SAD açoriana falava em conferência de imprensa realizada no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, no dia seguinte a ter sido anunciada a rescisão do técnico Mário Silva.

PUB

Bruno Vicintin justificou a conferência de imprensa com a necessidade de “dar a cara” e apresentar as “desculpas aos adeptos e sócios” pelo momento atual da equipa.

O treinador Mário Silva deixou o comando técnico do Santa Clara na sexta-feira, cargo que ocupava há praticamente um ano, depois da derrota frente ao Sporting de Braga em casa (4-0).

A formação açoriana, que atualmente ocupa o 15º. lugar do campeonato, com 13 pontos em 15 jogos, revelou que o treinador adjunto Danildo Accioly vai orientar a equipa até ser encontrada um novo treinador.

Acompanhado pelo presidente do clube, Ricardo Pacheco, o líder da SAD disse querer encontrar um treinador o “mais rápido possível”, mas alertou que vai tomar a decisão “com calma para não errar”.

“Vejo que está a ser muita bobagem [disparates] plantada, principalmente por empresários. Ninguém recebeu proposta oficial do Santa Clara, nem chegou perto de fechar. Tivemos conversas com vários treinadores. Ainda não temos um nome. Estamos a dar toda a força ao Accioly”, reforçou.

O empresário brasileiro, que assumiu a posição maioritária na SAD há cinco meses, agradeceu o “profissionalismo” de Mário Silva e defendeu que a responsabilidade pelos maus resultados não é apenas do treinador, mas é “culpa do projeto todo”.

Avançando que existem “três vagas” para preencher no plantel, Vicintin disse que as contratações vão esperar pelo novo treinador.

Sobre se o clube vai continuar a recrutar no mercado brasileiro, o líder da SAD afirmou que o “Santa Clara historicamente sempre teve jogadores brasileiros”, comparando as épocas 2018/19 (13 brasileiros) e 2019/20 (12 brasileiros) com a atual (13 brasileiros).

“O problema do Santa Clara não é o mercado brasileiro. O problema do Santa Clara é ter um acionista brasileiro. Essa xenofobia que a gente sofre em redes sociais não é para os atletas, porque o mercado do Santa clara sempre foi esse”, criticou.

E acrescentou: “Faltam três vagas. As críticas estão a ser tão grandes quanto ao mercado brasileiro que vamos tentar que essas três vagas não sejam ocupadas no mercado de brasileiro. Porém, sinceramente, não estou preocupado se o jogador é brasileiro, português ou alemão”.

Bruno Vicintin realçou que procurou dar “estabilidade financeira” ao clube, revelando que todos os funcionários dos açorianos “têm o seu ordenado até adiantado”, o que, “no passado recente não aconteceu”.

“Tivemos de pagar prémios de assinatura para jogadores que estão no clube desde 2018. (…) Posso garantir a todos adeptos e sócios que se não tivessemos assumido o clube e feito os ‘aportes’ que fizemos, o Santa Clara teria muita dificuldades em sobreviver este ano”, vincou.

Esta temporada, no campeonato, os açorianos somam oito derrotas, quatro empates e três vitórias. Na Taça da Liga, o emblema de Ponta Delgada ficou no último lugar do grupo G, com um ponto.

Pub