Rui Rio quer soluções de alojamento para universitários deslocados da sua cidade

O líder do PSD, Rui Rio, defendeu hoje soluções para os estudantes universitários que não conseguem alojamento devido ao preço das rendas e à inexistência de oferta por parte das instituições de ensino.

“É um problema que existe particularmente nas cidades de Lisboa e do Porto”, sublinhou o social-democrata, acrescentando que muitos estudantes deslocados da sua origem e cujas famílias não têm grandes possibilidades financeiras “”não têm hipótese de estudar”.

No âmbito de uma visita que Rui Rio hoje fez a duas residências universitárias da Universidade do Porto, foi possível perceber que a oferta é insuficiente face à procura.

“A capacidade [de que dispõem as residências universitárias da Universidade do Porto] nem para os bolseiros chega”, disse uma responsável no local.

Neste ano letivo, a Universidade do Porto não conseguiu dar resposta a 250 candidatos a residência universitária.

Para Rui Rio, é preciso “encarar este problema e encontrar soluções”, que podem passar “por dinheiro público, por dinheiro privado e pela conjugação dos dois fatores”, ou seja, através de uma parceria público-privada.

“Tem que haver solução, porque a realidade é hoje muito diferente do que era há anos”, principalmente devido à “pressão do turismo” em cidades como Lisboa e Porto, sublinhou.

Neste sentido, no âmbito da discussão e votação na especialidade de um projeto-lei do PCP sobre requalificação e construção de residências universitárias, que ocorrerá na terça-feira, na Comissão de Educação e Ciência, o PSD pretende apresentar os seus contributos.

No Porto, o preço de um quarto e/ou cama numa residência universitária pode custar entre os 73,5 euros/mês, para um estudante bolseiro, e os 230 euros/mês, para um investigador ou doutorando com bolsa.