Pub

A Rubis Energia Portugal assegurou hoje que a compra do negócio de distribuição de GPL à Repsol nas regiões autónomas “vai resultar em benefícios nos serviços prestados aos consumidores açorianos e madeirenses”.

A garantia consta num comunicado da Rubis onde a empresa se congratula com a decisão de não oposição, tomada hoje pela Autoridade da Concorrência (AdC), relativa à aquisição do negócio de distribuição de gás de petróleo liquefeito (GPL) embalado, granel e canalizado à Repsol, nos Açores e na Madeira.

“Na sequência da decisão da AdC, a Rubis reitera o seu compromisso em investir nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira”, sublinha a empresa de origem francesa.

“Este desfecho positivo vai resultar em benefícios nos serviços prestados aos consumidores açorianos e madeirenses”, sublinha, citado no comunicado, o administrador da Rubis, Arnaud Havard.

Segundo assegura o responsável, “os mercados continuarão concorrenciais e competitivos e a Rubis assume o compromisso de prosseguir a sua estratégia de crescimento e de consolidação em Portugal continental e nas ilhas com o foco no cliente e nos consumidores”.

“Ao ganhar mais dimensão, a Rubis fica mais capacitada para investir no território, para gerar mais emprego e riqueza para as regiões autónomas”, continua o administrador da empresa.

No comunicado, a Rubis lembra que, em setembro do ano passado, notificou a AdC sobre o negócio considerando que o processo desenvolvido pelo regulador “decorreu de forma exemplar e contou com a colaboração incondicional por parte da empresa”.

A Rubis Energia Portugal entrou no mercado nacional em 2014 quando adquiriu o negócio de distribuição de gás (GPL) à BP, num montante de investimento que ascendeu a 115 milhões de euros. Já em julho de 2017 adquiriu o segmento de negócio de gás GPL canalizado à Repsol em Portugal Continental.

Pub