Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

Deloitte

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

De acordo com as simulações realizadas pela Deloitte, para os trabalhadores por conta de outrem com rendimentos intermédios, as novas tabelas, hoje publicadas em Diário da República, trarão “um ligeiro desagravamento do IRS”, mas ainda “sem considerar a totalidade da alteração dos escalões ocorrida em 2018”.

Em 2018 foi decidido alargar de cinco para sete o número de escalões de rendimento coletável do IRS mas as tabelas de retenção na fonte que vigoraram no ano passado não refletiram integralmente o desagravamento que resultou desta medida. Segundo a consultora, as novas tabelas, para 2019, continuam a não refletir a totalidade desta mudança, o que resultará num reembolso mais elevado no próximo ano.