PUB

A Reserva Biológica do Corvo foi alvo de um projeto de requalificação e ampliação através do programa Mar 2020 liderado pela Câmara Municipal do Corvo e com o acompanhamento técnico da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA).

O projeto irá remover a vedação anti-predadores deteriorada pelas intempéries, ampliar a área com vegetação nativa e instalar um sistema de afastamento de predadores por ultra-som, um estudo piloto nos Açores para verificar a sua efetividade.

O objetivo desta intervenção é criar um espaço verde de lazer para a população local e seus visitantes onde as aves marinhas possam nidificar em segurança.

PUB

A Reserva Biológica do Corvo foi criada no âmbito do projeto LIFE Ilhas Santuário para as Aves Marinhas com o intuito de estabelecer uma área livre de predadores introduzidos para as aves marinhas nidificantes.

Para este fim, foi instalada uma vedação anti-predadores já testada na Nova Zelândia e que demostrou a sua eficácia nos primeiros anos após a intervenção. Nesta área, próxima da praia do Corvo, a vegetação nativa foi recuperada (com introdução e adensamento de espécies como o bracel Festuca petraea, a vidália Azorina vidalii, a urze Erica azorica e o cedro-do-mato Juniperus brevifolia) e instalados 250 ninhos artificiais para várias espécies de aves marinhas. Atualmente, nidificam nesta área 5 casais de Cagarro Calonectris borealis.

Infelizmente, com o passar do tempo e devido às intempéries que assolam a ilha do Corvo, associadas à localização da vedação muito próxima do mar, a estrutura foi desgastada.

Por este motivo, optou-se pela sua remoção completa e substituição por uma delimitação em madeira complementada por um sistema de controlo de roedores através de armadilhas Good Nature (sem veneno) e um sistema de ultra-som (testado com eficácia no Reino Unido) para o afastamento dos gatos da área.

Este projeto permitirá ainda ampliar a zona recuperada à área adjacente (outrora usada como local de entulho), constituindo assim 4.3ha de área com recuperação de habitat de vegetação nativa costeira e incrementando a plantação de espécies nativas produzidas no estufim integrado na Escola Básica e Secundária Mouzinho da Silveira.

O projeto contempla ainda a substituição dos ninhos artificiais de plástico por vasos de barro, já testados com sucesso no projeto LIFE IP Azores Natura, e a criação de um percurso interpretativo que conta a história da intervenção realizada na área desde 2012, identifica as espécies de aves marinhas e plantas nativas para usufruto da população local e visitantes.

Esta requalificação irá potenciar ainda mais o uso da área em questão pela população escolar, população local e visitantes através de visitas guiadas e promovendo hábitos de vida saudáveis, pondo os corvinos em movimento numa área livre de carros e zona pedonal delimitada.

A Câmara Municipal do Corvo e a SPEA pretendem assim melhorar e ampliar a área da Reserva Biológica do Corvo, tornando-a num laboratório vivo onde a conservação do habitat favorece a preservação das aves marinhas e incentiva o uso do espaço pela população local, valorizando ainda mais a ilha do Corvo como Reserva da Biosfera e Santuário para as Aves Marinhas.

Pub