Requalificação das Casas dos Botes das Lajes do Pico é “mais um investimento que faz jus aos desafios atuais do setor do turismo”

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou hoje, nas Lajes do Pico, que reabilitação das Casas dos Botes representa “mais um investimento que faz jus aos desafios atuais do setor do turismo”, para qualificação e valorização do destino em termos de oferta.

Marta Guerreiro, que falava na assinatura do contrato ARAAL de cooperação com a Câmara Municipal das Lajes do Pico para a reabilitação das antigas Casas dos Botes Baleeiros, adiantou que esta recuperação criará “um novo espaço para albergar, não só os antigos botes baleeiros, mas igualmente outros equipamentos relacionados com os desportos náuticos afetos às atividades marítimo-turísticas”, acrescentando que se prevê que “fique operacional em 2020”.

“A requalificação do edificado contribuirá, assim, para a melhoria do ambiente urbano, preservando o elevado valor simbólico da temática da baleação, de especial relevância para a captação de fluxos turísticos”, frisou a governante, salientando que o contrato de cooperação agora assinado é “mais uma ação” que permite “sermos presente, não esquecendo o passado que nos trouxe até aqui”.

A titular da pasta do Turismo adiantou que o investimento “terá também um forte contributo para que a rota temática da baleação seja reforçada, incrementando a motivação para o ‘touring’ cultural e paisagístico, presente no nosso Plano Estratégico e de Marketing do Turismo”.

Marta Guerreiro destacou ainda que, a par deste investimento, os Açores contarão com “o já apresentado projeto das infraestruturas de apoio às empresas marítimo-turísticas da Horta”.

Na sua intervenção, a Secretária Regional sublinhou que a ilha do Pico foi a que “mais cresceu em termos absolutos de dormidas, verificando-se um crescimento em todas as tipologias de alojamento a um ritmo na ordem de 21,1%”, dados fechados até setembro de 2018.

“Isto só é possível porque o Pico tem demonstrado ser uma ilha cada vez mais virada para o turismo, tanto ao nível da oferta de alojamento, com ênfase no Turismo em Espaço Rural, sendo uma das ilhas com maior número de unidades, e, mais recentemente, no Alojamento Local, bem como da oferta de animação turística, quer terrestre, quer marítima”, salientou.

Na ocasião, a governante sublinhou ainda o facto de a Paisagem da Cultura da Vinha do Pico ter vencido o Prémio Nacional da Paisagem em 2018, entre 27 candidaturas, “fruto do consenso do júri pela sua qualidade e exemplo, representando, muito em breve, o país na sexta edição do Prémio da Paisagem do Conselho da Europa”.

Partilha