República tem de reconhecer e discriminar positivamente as especificidades das nossas pescarias

A cabeça de lista do PS/Açores às Eleições Legislativas nacionais do próximo dia 6 de outubro sublinhou, esta quarta-feira, a necessidade de se continuar a lutar na Assembleia da República, pela diferenciação das nossas pescarias, no âmbito da definição das políticas nacionais e europeias, “tendo sempre em conta o seu caráter artesanal e o facto de não colocar em causa a sustentabilidade dos recursos”.

Isabel Almeida Rodrigues, que falava à margem da reunião com a Associação de Armadores de Pesca Artesanal da Ilha do Pico, recordou ainda, o esforço de negociação e de diálogo que permitiu, em 2018, a realização da primeira convenção coletiva de trabalho na Pesca, bem como dos 38 milhões de euros que renderam o pescado transacionado nas lotas da Região, representando um aumento de 28% face ao valor registado em 2017.

Para Isabel Almeida Rodrigues, “a introdução de mecanismos que permitam uma gestão mais eficiente da quota, traduzindo-se em melhor rendimento para os pescadores”, é ainda outra das matérias em que a lista do Partido Socialista à Assembleia da República irá continuar a empenhar esforços ao longo da próxima legislatura.

“Sendo este um setor de grande importância para a economia da Região, mereceu, ao longo da última legislatura, um trabalho incansável dos nossos deputados, onde foram obtidas conquistas muito importantes, nomeadamente a criação do corredor para o atum, a questão das quotas do imperador e do goraz, matérias em que tivemos uma gestão que nos permitiu desde logo melhorar o rendimento dos pescadores e, no caso do Pico, em 2018, o impacto cifra-se em mais de meio milhão de euros de rendimento”, afirmou a candidata socialista.

Com uma tradição, na Região, direcionada para tudo o que diz respeito à Economia do Mar, desde a Pesca, passando pela construção naval, pela investigação e inovação no domínio da oceanografia, faz com que, “os Açores sejam não só indispensáveis como centrais e absolutamente decisivos em tudo o que diga respeito às Políticas Públicas relacionadas com o Mar”. Nesse sentido, Isabel Almeida Rodrigues destacou o compromisso inscrito no Programa Nacional do Partido que visa fortalecer os poderes de intervenção da Região na gestão e exploração do Mar dos Açores, através da alteração da Lei de Bases da Política de Ordenamento e de Gestão do Espaço Marítimo Nacional.

“É este trabalho que nós queremos continuar a desenvolver, sendo importante destacar que há uma grande diferença no relacionamento que se estabeleceu entre a República e a Região, ao longo dos últimos quatro anos, também nesta matéria das pescas. É, por isso, importante que no próximo dia 6 de outubro possamos continuar a merecer a confiança dos Açorianos para continuar a trabalhar por todos os setores da nossa economia, mas também pelo setor das Pescas”, sublinhou a cabeça de lista do PS/Açores às Eleições Legislativas nacionais de 6 de outubro.