Relatório liga farmacêuticas a “epidemia de mortes” por overdose nos EUA

As empresas farmacêuticas que vendem no mercado americano alguns dos analgésicos de prescrição mais lucrativos terão contribuído para uma “epidemia de mortes” relacionadas com o consumo de medicamentos opiáceos, conclui um relatório divulgado hoje em Washington.

O relatório da senadora de Missouri Claire McCaskill , que resulta de uma investigação começada em 2017, denuncia “a capacidade da indústria de opiáceos de moldar a opinião pública” e levanta questões sobre o seu papel na chamada “epidemia de overdoses”, que terá custado “centenas de milhares de vidas americanas” nos últimos anos.

Entre 2012 e 2017, as empresas terão canalizado dez milhões de dólares para grupos de defesa, lobistas e para médicos que prescrevem o uso deste tipo de medicamentos, de acordo o relatório.