Pub

O Presidente do Governo Regional dos Açores, , sublinhou na sexta-feira que as regiões ultraperiféricas, como os Açores, asseguram “vantagem competitiva” e dão “prestigio mundial” à União Europeia.

“É nesse valor acrescentado que temos peso político, ético e moral”, o que deve ser compreendido pelos órgãos políticos da União, concretizou o governante.

José Manuel Bolieiro falava em Angra do Heroísmo, no encerramento de um seminário, promovido pela Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, sobre o futuro das ultraperiferias na Europa, encontro que contou com intervenientes políticos regionais, nacionais e europeus.

Os Açores, lembrou o Presidente do Governo, são a região que “confere ao país e à União Europeia mais presença oceânica”, e são centralidade mundial no que refere ao seu espaço marítimo.

“Atrevo-me a dizer, com ousadia e realismo, no quadro dos Açores, que é necessária uma inteligente reflexão europeia sobre o papel das regiões ultraperiféricas o mundo”, prosseguiu José Manuel Bolieiro.

A “presença competitiva e estratégica da União Europeia no mundo” é reforçada com a presença das regiões ultraperiféricas, insistiu o governante, e, nesse sentido, deve haver um “reconhecimento” comunitário por este contributo de regiões como os Açores.

A região continuará, nas várias instâncias europeias, a procurar “assegurar com firmeza” as suas mais-valias para o espaço europeu, “não num exercício de pedir”, mas de procura de “justo retorno” por este valor acrescentado.

Pub