Uma nota de imprensa do gabinete do líder do Governo Regional dos Açores refere que no encontro da CRPM ocorrido hoje em Atenas foi lembrado que as propostas iniciais de Bruxelas sobre o futuro da Política de Coesão preveem “vários cenários de cortes no seu financiamento” no pós-2020, que as regiões dizem ser “inaceitáveis”.

“Se estas propostas fossem adotadas, significariam um golpe irreversível para o futuro desta Política [de Coesão] e para o seu objetivo de combater as disparidades regionais em toda a Europa. Isso significaria um desastre para a coesão económica, social e territorial, criando uma distância ainda maior entre os cidadãos e o projeto europeu”, afirmou Vasco Cordeiro, citado na nota de imprensa.