Região adquire obra rara de autor açoriano

A Região Autónoma dos Açores, através da Secretaria Regional da Educação e Cultura, adquiriu recentemente um dos exemplares da primeira edição da obra Dos privilégios & praerogativas q[ue] ho género feminino te[m] por dereito comu[m] & ordenações do Reyno mais que ho genero masculino, escrita pelo açoriano Rui Gonçalves.

A primeira edição desta obra foi editada em 1557, em Lisboa, pela Apud Johanne Barreriu Regium Typographum, sendo conhecidos apenas 11 exemplares, constituindo, por isso, uma raridade bibliográfica, até agora inexistente em qualquer das bibliotecas públicas dos Açores.

Rui Gonçalves, ou R. G. da Grã, natural da ilha de São Miguel, licenciado em Direito Civil, lente da Instituta na Universidade de Coimbra e depois da Digestus, posteriormente advogado da Casa de Suplicação em Lisboa, foi o primeiro Açoriano a publicar um livro, mas também o primeiro autor português a defender a igualdade de género, tendo sido durante séculos o único a fazê-lo.

Um parecer de Artur Teodoro de Matos, do Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa, da Universidade Católica, refere que a obra agora adquirida pela Região, que se destina a uso dos alunos, terá sido dedicada à rainha D. Catarina e consta de duas partes, sendo na primeira enumeradas as nove virtudes nas quais as mulheres são iguais ou superiores aos homens e, na segunda, demonstrada a igualdade entre homens e mulheres e analisados os privilégios e prerrogativas que a legislação atribui ao sexo feminino.

Este livro, impresso a preto e encadernado, que se encontra em fase de tratamento, será apresentado publicamente a 8 de março, em Ponta Delgada, numa cerimónia alusiva ao Dia Internacional da Mulher.