Pub

De acordo com o deputado, “estão a ser dados passos importantes, designadamente através da diminuição da carga fiscal já implementada, no sentido de dar maior capacidade, quer às famílias, quer às empresas, para que possam ser empreendedoras”.

“Com o aumento da liquidez das famílias e das empresas, aumenta também a sua capacidade de se candidatarem aos programas de apoio ao desenvolvimento que vão sendo disponibilizados”, explicou Rui Martins, que considera que “estamos perante uma mudança de paradigma”.

O deputado do CDS-PP apontou como “fundamental a correta utilização dos fundos comunitários, quer do PRR, quer do Portugal 2030, para que os Açores possam alcançar uma efetiva convergência com o restante território europeu”, considerando “lamentável que nos últimos anos se tenham perdido tantas oportunidades e que não tenha sido possível alcançar a convergência anunciada, apesar dos fundos comunitários de que a Região foi usufruindo”.

Rui Martins alertou que “dado o contexto e o tecido económico açoriano, não é possível aplicar na totalidade o liberalismo económico” conforme desejado por alguns. “É preciso olhar para as pessoas e não exclusivamente para os mercados”, defendeu.

O Grupo Parlamentar do CDS-PP considera que “o caminho que está a ser trilhado pelo Governo Regional promoverá um efetivo desenvolvimento dos Açores, a bem dos Açorianos” e olha com “otimismo” para o ano que ora se inicia.

Pub