PUB

O músico Açoriano Rafael Carvalho, Natural da Ribeira Quente, prepara para 2023 a edição de mais um álbum “temático”, desta vez de homenagem aos Mestres da Viola da Ilha de São Miguel.

Francisco Sabino terá sido o primeiro tocador de Viola da Terra e de Viola de Arame, em Portugal, a gravar um disco, na década de 50, com 4 faixas a solo em Viola da Terra. Algumas dessas peças figuram na Banda Sonora do filme “Quando o mar galgou a terra”, de 1954, gravado na Ilha de São Miguel. É, no entanto, um tocador desconhecido da maioria das pessoas.

Constantino Amaro é uma das referências da Viola da Terra em São Miguel, membro do Grupo Folclórico de São Miguel, década de 50, ainda com registos em edições antigas, de antologias dos Açores, e com registos na emissora regional dos Açores com o Grupo Folclórico Tavares Canário.

PUB

José Gravita e Arsénio Machado, em recolhas do Professor Artur Santos. António Dias de Medeiros, registado na emissora regional dos Açores na década de 70.

Miguel de Braga Pimentel, com 3 álbuns editados, onde regista o legado deixado pelo seu Pai, já com a sua própria interpretação e arranjos, repertório que o seu tio também tocava, com variações também próprias.

José de Oliveira, fundador da Escola de Violas da Relva, que regista no álbum “A Relva e as suas músicas” um importante espólio do seu legado.

São todos enormes referências da nossa Viola da Terra, mas, muitos, desconhecidos do público em geral. Para colmatar essa lacuna, Rafael Carvalho pretende registar em álbum essas melodias que nos foram deixadas por estes Mestres da Viola, o mais aproximado da versão original, mas com a sua própria execução e interpretação.

Nesse sentido, prepara a gravação e posterior edição desse trabalho de homenagem aos Mestres da Viola da Terra Micaelense, para que, num único álbum possam estar disponíveis estas brilhantes versões da “Sapateia”, “Saudade”, “Pezinho”, “Chamarrita”, Aurora”, e outras peças, com o intuito de dar a conhecer todo esse espólio e toda essa diversidade e riqueza de melodias do repertório da Viola da Terra em São Miguel.

Como forma de homenagear, ainda, o seu Mestre da Viola, Carlos Quental, prepara 2 ou 3 originais que irão integrar o álbum, sendo “O Tangedor” uma dessas peças, já divulgada pelo músico nas redes sociais no final do mês de Dezembro.

Espera-se que o trabalho fique pronto para apresentar no final do Verão, mas o músico promete, como habitual, ir partilhando fases desse processo de gravações e do trabalho que for desenvolvendo, nas redes sociais, para todos os que desejem ir acompanhando essa evolução.

Pub