PSP assegura “clima propício” para a final da Taça de Portugal

A Polícia de Segurança Pública (PSP) disse hoje que a final da Taça de Portugal de futebol entre Sporting e Desportivo das Aves terá um “clima propício”, mas revelou que irá ter especial atenção às claques dos ‘leões’.

Na conferência de imprensa da PSP, que decorreu no palco na final de domingo, o intendente Domingos Antunes foi o porta voz que confirmou estarem reunidas todas as condições de segurança para o encontro no Estádio Nacional, em Oeiras.

“Este policiamento foi há muito preparado, com reuniões insistentes com o promotor, mais concretamente a FPF. Perante todos os cenários, existe um clima propício para que esta taça seja mais uma marca de referência em Portugal”, começou por enaltecer.

Contudo, sem esquecer a semana conturbada que os ‘leões’ têm vivido, face ao ataque de terça-feira na Academia do Sporting, em Alcochete, onde dezenas de alegados adeptos encapuzados invadiram as instalações e agrediram jogadores e equipa técnica, o intendente não desvalorizou, mas preferiu destacar a “experiência” da PSP nestes eventos.

“A polícia, pela experiência que tem nestes eventos, está naturalmente preparada para os cenários prováveis ou até impossíveis de acontecer. Que a polícia seja aplaudida ano final pela capacidade de invisível de poder contribuir para o espetáculo”, declarou.

Por outro lado, continuando a insistir que a final da prova ‘rainha’ vai decorrer dentro do espectável, Domingues Antunes deixou um apelo: “Gostava de transmitir uma imagem de confiança, serenidade e ponderação e que as pessoas venham ao estádio e façam a festa”.

Ainda assim, a PSP não descarta eventuais momentos de maior tensão, principalmente no que aos adeptos ‘leoninos’ diz respeito.

“É possível [momentos de tensão], mas não sou capaz de avençar com que probabilidade. A polícia vai acompanhar estes fenómenos. Sinto uma confiança que tudo vai decorrer com a maior urbanidade, que os adeptos seguirão as informações da polícia e ajudarão à festa”, esclareceu.

Perante a insistência dos jornalistas, Domingues Antunes aprofundou que o topo norte do Estádio Nacional terá especial atenção por parte das forças policiais, tendo como prioridade proteger os adeptos alheios a essa zona.

“A questão é que existem algumas informações que nos canalizam para o setor de risco para os grupos organizados, designado de claques. Se existirem esses cenários de conflitos com as próprias claques a polícia terá de ter uma reação rápida para proteger todos os adeptos e focalizar nesses setores de risco”, concluiu.

No domingo, Sporting e Desportivo das Aves defrontam-se no Estádio Nacional, em Oeiras, pelas 17:15, com as portas a abrirem pelas 14:45.