Pub

O deputado à Assembleia da República Paulo Moniz sublinhou hoje que o PSD “votou a favor de todas as propostas do Partido Socialista de alteração ao Orçamento do Estado (OE2022) relativas aos Açores”, numa atitude “em prol da Região e pondo sempre primeiro os Açores, ao contrário do PS, que chumbou as nossas seis propostas fundamentais”, lembrou.

“Tivemos uma postura completamente diferente da do PS, antagónica mesmo, pois o nosso interesse e prioridade são melhorar a vida aos cidadãos açorianos, mediante medidas de emanação estatal, mas que influenciam o seu dia-a-dia”, avançou.

“As opções partidárias nunca foram o foco das nossas opções e pusemos sempre primeiro os supremos interesses de todos os açorianos”, frisou o social-democrata.

Paulo Moniz lamentou mesmo “os votos contra dos deputados socialistas, entre eles os eleitos pelos Açores, que não hesitaram no apoio total a um orçamento que penaliza as nossas ilhas com menos 20 milhões de euros, e que não dá respostas imediatas a vários problemas e anseios dos açorianos”.

Recorde-se que os social-democratas apresentaram propostas de alteração ao OE 2022 para isentar os pagamentos à Segurança Social dos empresários de São Jorge afetados pela crise sismo-vulcânica; avançar com o contrato de financiamento à Universidade dos Açores; acelerar o processo de substituição do cabo submarino de comunicações entre o Continente e os Açores; desbloquear a continuação das obras decorrentes da passagem do furacão Lorenzo; a construção da nova cadeia de Ponta Delgada e a ampliação da pista do Aeroporto da Horta.

“Face a tudo o que constava das nossas propostas, o PS chumbou-as na totalidade, mas aprovando as suas, ainda que vagas, pelo que o OE2022 apenas terá inscrito o início do projeto de construção da nova cadeia de Ponta Delgada e o início do projeto de ampliação da pista do Aeroporto da Horta, o que consideramos meramente curto para tais medidas e para as outras aspirações dos Açores”, considerou.

“Ainda mais face a um governo com maioria absoluta, mas que nem assim ouviu ou atendeu a todas as necessidades próximas das nossas ilhas”, concluiu Paulo Moniz.

Pub