Pub

O presidente do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, disse hoje que, se for eleito presidente do Governo Regional nas eleições deste mês, irá acabar com a “discriminação” na distribuição dos apoios às freguesias e câmaras municipais.

O líder social-democrata falava hoje aos jornalistas após uma ação de rua na freguesia das Feteiras, em Ponta Delgada, integrada na campanha eleitoral do partido paras as regionais de 25 de outubro.

“A partir das Feteiras, mas dirigida a todas as freguesias dos Açores e a todos os municípios dos Açores, [digo] que comigo na presidência do governo não haverá discriminação como o governo do Partido Socialista tem feito em relação às freguesias e câmaras municipais”, declarou Bolieiro.

Com o PSD na liderança do executivo regional, disse, haverá a “garantia de uma serena transição de poder”, que irá respeitar a “igualdade de tratamento” entre o poder local da região.

Bolieiro também comentou as críticas do presidente do PS/Açores e líder do Governo Regional desde 2012, Vasco Cordeiro, que considerou que o PSD tem revelado impreparação e falta de conhecimento ao longo da campanha eleitoral: “isso é um exercício de arrogância”, reagiu o líder social-democrata.

O presidente do PSD/Açores disse que os socialistas “têm feito mais críticas às propostas” sociais-democratas porque têm “falta de capacidade inovadora”.

“Eu estou até convencido que o PSD, de tão preparado que está, tem inquietado o partido do governo”, afirmou.

Pelas ruas das Feteiras, Bolieiro, cabeça-de-lista do PSD por São Miguel, esteve acompanhado pelos números dois e três da lista no maior círculo eleitoral açoriano, Pedro Nascimento Cabral e Sofia Ribeiro, respetivamente.

A comitiva ‘laranja’ distribui canetas, gel desinfetante e cadernos e alertou para a importância do voto e da alternância democrática.

“Todos os contactos que tenho feito são esmagadoramente de bom acolhimento, de aceitação das nossas propostas e até de reconhecimento à minha personalidade política”, disse o antigo presidente da Câmara de Ponta Delgada.

O dia da campanha social-democrata começou na sede do partido em Ponta Delgada, com uma reunião com o núcleo regional dos Açores da Liga Portuguesa Contra o Cancro, realizada por videochamada.

Após a reunião, Bolieiro destacou aos jornalistas a importância de “identificar a atividade assistencial que possa ter ficado suspensa ou adiada” durante a pandemia da covid-19, para depois “elaborar um plano de retoma progressiva da atividade”.

“No âmbito do hospital Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, durante o mês de outubro e até àquele dia [13 de outubro], tinha havido zero cirurgias no âmbito do programa da produtividade adicional”, apontou, acompanhado pelo eurodeputado do PSD Paulo Rangel.

As legislativas dos Açores decorrem em 25 de outubro, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

Pub