Pub

“A ânsia e irresponsabilidade do PSD/Açores em atacar, novamente, o Governo dos Açores faz com que inventem dívidas que não existem, com o único propósito de criar alarmismo e ruído”, afirmou o deputado socialista Carlos Silva, em relação às mais recentes declarações do deputado social-democrata António Vasco Viveiros, sobre a situação financeira da Portos dos Açores. “Confundir valores referentes à imputação contabilística de subsídios ao investimento, de fundos comunitários, com uma dívida inexistente, só pode resultar de um erro básico, revelar ignorância ou incompetência grave, má-fé ou tentativa de enganar os Açorianos”.

O deputado do Grupo Parlamentar do PS/Açores explica que “os subsídios de fundos comunitários já recebidos só são, de acordo com as regras contabilísticas, considerados proveitos ou rendimentos de forma faseada e em função do período da vida útil dos investimentos realizados”.

Esta postura do PSD/Açores demonstra que “a nova liderança não vai trazer nada de novo, que vão insistir na política do vale tudo, caluniosa, inventando uma dívida que não existe e sacrificando a verdade dos factos a qualquer custo”.

A acusação, além de infundada, injusta e maliciosa, resulta de factos que já tinha sido explicados em sede de Comissão Parlamentar de Inquérito ao SPER, ou seja, os saldos referentes à imputação dos subsídios ao investimento foram registados, contabilisticamente, no Ativo e no Passivo da empresa, não constituindo assim qualquer divida, conforme pode ser confirmado no Relatório e Contas de 2017 da empresa Portos dos Açores.

Pub