PSD denuncia atraso no pagamento de diárias a doentes deslocados na ilha das Flores

A comissão política do PSD da ilha das Flores denunciou hoje a existência de atrasos no pagamento das diárias a doentes deslocados, referindo que há casos de incumprimento superiores a seis meses.

“Há vários doentes da ilha das Flores que estão à espera do pagamento das suas diárias desde o último trimestre de 2018, após se terem deslocado ao Hospital de Ponta Delgada. Trata-se de um atraso superior a seis meses, o que é inadmissível”, afirmou Bruno Belo, presidente daquela estrutura.

O dirigente social-democrata salientou que estes utentes tiveram de pagar a totalidade das despesas com as deslocações, sendo que “alguns deles até já se deslocaram por mais do que uma vez” por motivos de saúde à ilha de São Miguel, “e continuam sem receber o valor das diárias a que têm direito”.

“Estes utentes florentinos já se deslocaram ao Hospital de Ponta Delgada, efetuaram as suas consultas, exames e cirurgias – alguns deles até já se deslocaram por mais do que uma vez – regressaram à ilha das Flores e ainda não receberam o subsídio diário de deslocação a que tiveram direito, nem o pagamento dos transportes terrestres”, disse.

Bruno Belo sublinhou que esta é uma situação “profundamente injusta” e exigiu que o Governo Regional “resolva imediatamente o problema, procedendo ao pagamento das diárias em atraso”.

“O Governo Regional tem que pagar o que deve a estes utentes da ilha Flores. Há doentes com baixos rendimentos que poderão ser impedidos de se deslocarem novamente, dado que não têm condições económicas para continuar a suportar os custos dessas deslocações”, concluiu.