PUB

O PSD criticou hoje a postura “tendenciosa” da presidente da Câmara de Vila do Porto, depois da autarca da ilha de Santa Maria ter condenado a prorrogação da redução das taxas aeroportuárias nas Lajes, decidida pelo governo açoriano.

Em comunicado, o PSD de Santa Maria lembra que a redução daquelas taxas na aerogare da lha Terceira foi determinada em 2015 por um Governo Regional socialista, quando a atual presidente do município de Vila do Porto, Bárbara Chaves, era deputada do PS no parlamento açoriano.

 “A presidente da Câmara Municipal de Vila do Porto tem dois pesos e duas medidas, conforme o PS está no governo ou na oposição, o que é revelador de uma postura tendenciosa e mesquinha”, afirmou a dirigente social-democrata, Aida Amaral, citada no comunicado.

PUB

Na terça-feira, a presidente da Câmara de Vila do Porto, nos Açores, disse estar “indignada” com a prorrogação da redução nas taxas aeroportuárias das Lajes, na ilha Terceira, criando “concorrência desleal” face ao aeroporto da ilha de Santa Maria.

Hoje, o PSD, o partido que lidera o Governo dos Açores (em coligação com o CDS-PP e o PPM), lembra que a socialista Bárbara Chaves, enquanto deputada regional, votou a favor do Plano de Revitalização Económica da ilha Terceira em 2015, que previa a redução das taxas aeroportuárias nas Lajes.

“Foi um governo do PS que determinou, em fevereiro de 2015, a redução das taxas aeroportuárias na Aerogare Civil das Lajes. Enquanto o PS esteve no poder, a então senhora deputada Bárbara Chaves nada disse”, afirma o PSD.

O partido elogiou ainda as medidas do Governo Regional para Santa Maria, como a construção de uma variante a Vila do Porto e o “aumento no número de lugares” nos voos interilhas.

Na terça-feira, em declarações aos jornalistas, a autarca de Vila do Porto disse ter ficado “completamente indignada” devido à decisão do Conselho de Governo de aprovar a prorrogação da redução de 50% dos quantitativos das aeroportuárias na Aerogare Civil das Lajes, na ilha Terceira, cuja vigência terminava no final do ano.

“A minha indignação é simplesmente porque ontem [segunda-feira] o senhor presidente do governo mostrou-se extremamente colaborante com a Câmara Municipal. Inclusive foi-nos dito que as isenções [das Lajes] iriam terminar no fim deste ano e qual não é o nosso espanto quando vemos essa prorrogação”, afirmou então a edil.

Sobre esta acusação, o vice-presidente do executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM), Artur Lima, acusou a autarca de “descortesia enorme”.

“Quem falou na reunião de câmara fui eu. Há uma falta de verdade por parte da presidente da câmara. O que o senhor presidente do governo se dispôs foi a colaborar e a ajudar a senhora presidente e o município de Vila do Porto para, junto da ANA, sensibilizá-los para a abertura do aeroporto [entre as 00:00 e as 06:00]”, afirmou.

O governante indicou também que as taxas de aterragem, descolagem e estacionamento de aeronaves em Santa Maria são mais baixas do que no resto da região, rejeitando acusações da autarca de Vila do Porto.

Pub