Pub

Luís Pereira, secretário-geral do PSD/Açores, citado em nota de imprensa, além de felicitar Rui Rio “pela sua reeleição como presidente do partido”, expressando “grande satisfação com a forte participação dos militantes de todo o país”, considerou que “terminado que está o ato eleitoral, o tempo agora é de reforçar a união do partido, de forma que se abra um novo ciclo de esperança para Portugal e para os portugueses nas eleições legislativas nacionais”.

De acordo com Luís Pereira, os militantes “devem estar unidos” em torno do líder nacional, de modo que o PSD apresente aos portugueses um “projeto alternativo ao socialismo”, considerando que “os últimos anos de governação socialista foram marcados pela estagnação económica e pelo empobrecimento”.

“Portugal precisa de uma clara mudança de rumo. Compete ao PSD liderar um projeto alternativo ao socialismo”, disse.

O presidente do PSD foi reeleito para o cargo no sábado, numa disputa muito renhida com o eurodeputado Paulo Rangel, e já assegurou que vai “picado” para ganhar as legislativas de 30 de janeiro.

Foi nos Açores que Rui Rio obteve a sua maior vitória percentual, 77%, sendo que o atual líder do PSD/Açores e atual presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, já foi vice-presidente do líder nacional.

De acordo com os resultados oficiais, ainda provisórios, anunciados pelo Conselho de Jurisdição Nacional, Rui Rio foi reeleito presidente do PSD com 52,43% dos votos, contra os 47,57% do eurodeputado Paulo Rangel.

Do total de 46.664 inscritos, votaram 35.991 militantes sociais-democratas. Rio alcançou 18.604 votos e Rangel 16.879, havendo ainda 189 votos nulos e 319 votos em branco.

Com base nestes resultados provisórios, a diferença entre os dois candidatos foi de 1.725 votos, a mais curta de sempre em diretas, batendo o ‘recorde’ de 2020, quando Rio tinha vencido Luís Montenegro por 2.071 votos.

Pub