Pub

O PSD/Açores denunciou hoje que “a falta de docentes é transversal a mais de metade das escolas da região”, frisando que as medidas apresentadas pelos social-democratas para evitar “esta realidade foram todas chumbadas pela maioria socialista”.

A falta de docentes é uma realidade que é transversal a mais de metade das escolas da região. Merece a nossa preocupação e a reflexão sobre as políticas educativas nos Açores”, afirmou Maria João Carreiro, deputada social-democrata no parlamento dos Açores, em declarações aos jornalistas.

A parlamentar falava após uma visita dos deputados do PSD/Açores eleitos por São Miguel à Escola Secundária Domingos Rebelo, na cidade de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

“É inadmissível este cenário, mas já era expectável. O próprio grupo parlamentar do PSD/Açores alertou para este cenário. Apresentou medidas para evitar esta realidade, mas todas elas foram chumbadas pela maioria socialista”, sustentou a deputada, lamentando que o Governo dos Açores “não” disponha de “uma plataforma que permita de forma clara e transparente aceder a esses grupos de carência”.

Maria João Carreiro assinalou que “no primeiro ciclo e no pré-escolar não há tanta carência” de professores, “nem ao nível da disciplina de educação física”, mas “há escolas que já deram nota de falta de docentes para a área de informática”.

“No âmbito da flexibilidade curricular foi introduzida a disciplina de Técnicas de Informação e Comunicação e há escolas que não dispõe destes recursos humanos, assim como para a área de História e Filosofia”, acrescentou, criticando as declarações do secretário regional da Educação sobre a falta de docentes, alegando que o governante “tem por hábito iludir o povo açoriano e a oposição, mas a realidade está à vista”.

Para o grupo parlamentar do PSD/Açores, foram “várias” as “medidas adotadas pelo Governo Regional que contribuíram para este cenário”, em particular “a contratação sucessiva de professores”.

“O executivo açoriano recorre sistematicamente a contratação sucessiva de docentes, o que promove a precariedade laboral e as desigualdades salariais. Ao contrário do que existe no continente e na Madeira, nos Açores não existe uma norma travão, ou seja, não há um limite à contratação sucessiva e o PSD já propôs que fosse criada esta medida, mas o PS chumbou esta proposta”, explicou Maria João Carreiro.

Os deputados do PSD/Açores eleitos por São Miguel manifestaram ainda “preocupação” quanto à fixação de docentes em várias ilhas da região, em particular nas ilhas da periferia, lamentando que o partido socialista tenha chumbado uma iniciativa do grupo parlamentar social-democrata que visava “criar incentivos à fixação de docentes de modo a promover a estabilidade do corpo docente”.

Pub