PUB

O PSD/Açores acusou hoje o PS de “repetir falsidades” para atacar o Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM), assinalando que o executivo já tem em execução os “maiores apoios sociais de sempre” para atenuar o impacto da crise inflacionista.

“O Orçamento da região para 2023, que já está em execução e teve o voto contra do PS, contempla os maiores apoios sociais de sempre e os impostos mais baixos do país. Graças à ação do Governo Regional, os açorianos estão mais protegidos para enfrentar o período de incerteza que se vive na Europa e no mundo. Mas o PS finge que estas medidas concretas não existem e insiste na repetição de falsidades”, afirmou Luís Maurício, vice-presidente do PSD/Açores, citado num comunicado de imprensa.

O PS/Açores acusou no sábado o Governo Regional de estar “atrasado no combate aos impactos da inflação”, criticando o executivo pela “inação e falta de concretização” no apoio a famílias e empresas.

PUB

Luís Maurício condena o PS por insistir na “repetição de falsidades” para atacar o Governo Regional.

Segundo o dirigente social-democrata, o Governo “está a dar resposta às preocupações dos açorianos, pois estabeleceu como prioridade a proteção social, ao reforçar os apoios às famílias e às pessoas com carências económicas, bem como à classe média dos Açores”.

“Para atenuar o impacto da crise inflacionista, o Governo dos Açores procedeu a aumentos substanciais do Complemento Regional de Abono de Família, da remuneração complementar, dos apoios da Ação Social Escolar ou do Complemento Especial para o Doente Oncológico”, frisou.

Luís Maurício lembrou também o “reforço dos apoios aos idosos dos Açores, nomeadamente o aumento em 40%, desde o início da legislatura, do Complemento para a Aquisição de Medicamentos pelos Idosos (COMPAMID)”, algo “muito acima da taxa de inflação”.

“Foi também o Governo da coligação PSD/CDS-PP/PPM que reduziu o Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP), garantindo que os Açores têm os combustíveis mais baratos do país”, apontou.

Por outro lado, “a mitigação da subida da fatura energética passa também pelo Solenerge, o inovador programa regional de apoio à aquisição de sistemas solares fotovoltaicos, que está a registar uma grande adesão”.

O vice-presidente do PSD/Açores recordou “a redução para 8,75% da taxa de IRC para as micro, pequenas e médias empresas açorianas”, que está em vigor desde o início do ano e “permitirá dar mais um importante contributo para fortalecer o tecido empresarial da Região”.

“Este robusto conjunto de medidas do Governo Regional, que já está em execução, desmente as falsidades que o PS repete diariamente só para tentar espalhar desinformação. O PS/Açores transformou-se no partido do pessimismo e do alarmismo. É um partido sem projeto político”, concluiu.

Na sexta-feira, após presidir à reunião do Conselho Permanente de Concertação Social, o presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro, disse que o executivo estava a trabalhar num sistema de monitorização de preços, na capitalização das empresas, no apoio ao crédito à habitação e à mitigação da subida da fatura energética, entre outras medidas para responder à crise inflacionista.

Pub