Pub

“A 14 de Dezembro de 2020 o Governo Regional anunciou a criação de um Conselho Científico para a Inovação Agroalimentar alegadamente coordenado pelo Professor José Matos. Depois de várias perguntas do Grupo Parlamentar do PS sobre a sua criação e funcionamento, recebemos hoje resposta ao requerimento”, referiu Berto Messias.

Berto Messias refere também que “foi publico hoje, também, que o Professor José Matos desistiu de aceitar coordenar este projeto devido à demora em avançar o mesmo.”

“O Grupo Parlamentar do PS/A repudia as mais recentes declarações do executivo sobre o Conselho Científico para a Inovação Agroalimentar: “Como pode a pandemia ser usada como desculpa para o Governo não avançar com o Conselho para a Inovação Agroalimentar, mas ser esquecida quando os membros desse mesmo Governo participam em ajuntamentos, em feiras, jantares e convívios?”, questiona Messias.

O deputado do PS/Açores condena “o descaramento com que o Governo respondeu ao Parlamento dos Açores” sobre o funcionamento do Conselho Científico para a Inovação Agroalimentar, anunciado em dezembro de 2020: “É ridícula e ofensiva a resposta que este Governo deu ao requerimento do Grupo Parlamentar do PS/Açores e, acrescenta, é “desrespeitoso” e “desprestigiante” para uma personalidade como o Professor José Matos, que foi anunciado como coordenador há quase um ano, a 14 de dezembro de 2020.

Esta postura, refere, “confirma que este Governo Regional promete mas não cumpre”. A resposta que ontem foi publicada no site da Assembleia Legislativa (http://base.alra.pt:82/4DACTION/w_pesquisa_registo/4/7222) também demonstra que, ao contrário do que anuncia, “este executivo desvaloriza os contributos de outras entidades e decide em função dos seus próprios interesses”.

Afinal, recorda Berto Messias, foi este executivo que classificou este Conselho Científico como “um suporte fundamental ao Governo para a tomada de decisões políticas, decisões baseadas na experiência e sabedoria adquiridas”, mas depois de anunciar a sua criação há quase um ano, nunca avançou.

“É preocupante”, diz o parlamentar,  “ver a incapacidade de um Governo que nem consegue colocar em funcionamento um Conselho Científico, um ano após ter sido prometido, que supostamente permitiria auxiliar a tomada de decisões estratégicas para a agricultura”. Lamentavelmente, refere, “o Secretário Regional da Agricultura vive numa permanente contradição / ficção, entre o que promete e o que executa, ou melhor, não consegue executar”.

Berto Messias considera que “são exemplos como este que reforçam a tese que este é um Governo sem estratégia e sem resposta para os problemas que enfrentam os agricultores Açorianos, como é o caso do aumento dos fatores de produção e o reduzido preço do leite”.

Pub