“Era importante que todos os atores ligados a este processo marcassem presença na comissão e pudessem esclarecer, de forma transparente, tudo o que há sobre esta matéria, para que não restem dúvidas em relação à estabilidade social daqueles trabalhadores”, justificou, em declarações à Lusa, Miguel Costa, deputado do PS.

O parlamentar socialista, que é também presidente da Comissão de Economia, defende que sejam também ouvidos por aquela comissão um membro do Governo Regional, os representantes dos trabalhadores da Cofaco, o presidente da Câmara Municipal da Madalena e ainda os representantes da associação comercial do Pico e da associação “Pão do Mar”.

Em causa o anúncio feito na passada semana pela administração da conserveira, de que iria avançar com o despedimento coletivo de cerca de 180 trabalhadores que desempenham funções na unidade fabril da vila da Madalena, na ilha do Pico, apesar de manifestar a intenção de construir uma nova fábrica, no mesmo local.

Os deputados do PS, que estão em maioria na Assembleia Legislativa dos Açores, pretendem perceber, através destas audições parlamentares, como será a situação laboral destes trabalhadores e quais as perspetivas futuras da Cofaco na ilha do Pico.

Vários partidos com assento parlamentar já anunciaram, entretanto, que vão apresentar no parlamento, ao longo desta semana, várias propostas de resolução relacionadas com o despedimento coletivo na empresa.

Na quarta-feira, os trabalhadores da conserveira vão realizar um plenário sindical na ilha do Faial, com a presença do secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, seguido da entrega de uma moção no parlamento regional.