PS desafia TAP a corrigir plano de rotas áreas que “lesa interesse nacional”

O secretário-geral adjunto do PS desafiou hoje a TAP a corrigir o plano de rotas aéreas tornado público, considerando que a decisão da Comissão Executiva da transportadora aérea de reduzir voos e destinos “lesa o interesse nacional”.

Em conferência de imprensa, na sede nacional do PS, José Luís Carneiro defendeu que “decidir reduzir o número de voos e de destinos, colocando em causa pontos de partida e pontos de chegada relevantes para a economia nacional” pode colocar em causa os objetivos estratégicos definidos para a companhia de bandeira do Estado português.

“Para o continuar a ser, a TAP tem de estar alinhada com o interesse estratégico do Estado português. Este anúncio da comissão executiva coloca em causa esse objetivo estratégico e o suporte da decisão política de o Estado ter uma parceria com esta companhia logo que assumiu funções”, afirmou.

Questionado sobre o futuro da TAP, José Luís Carneiro remeteu essa análise para o Governo e preferiu instar a companhia a corrigir a decisão de “redução de voos e destinos”.

“O PS interpela a TAP a corrigir o plano de rotas aéreas tornado público, tendo em vista corresponder aos legítimos interesses nacionais e regionais em apreço”, desafiou.

Para o secretário-geral adjunto socialista, “se os portugueses estão a ser chamados a assumirem maiores responsabilidades financeiras” na TAP, só o poderão fazer “se a companhia assumir a sua condição de elemento estratégico o país, útil a todo o território nacional”.

“A TAP, se recorre aos apoios públicos, tem que estar alinhada com os interesses do Estado português”, sublinhou.